Tamanho da fonte: a a a
Ir para o conteúdo
Para mães e pais 
em fase de crescimento.

Como escolher o nome da criança? E quem pode ajudar nessa decisão?

Ninhos do Brasil NB
qui, 18/11/2021 - 10:30
Mulher grávida faz uma lista em caderno com nomes de criança para seu bebê

Escolher o nome da criança é uma tarefa complicada: o que ele significa, quão popular é, a sonoridade dele e até possíveis apelidos são algumas das preocupações que passam pela cabeça na hora de definir como vai se chamar o mais novo membro da família.

É comum imaginarmos o nome dos nossos filhos mesmo bem antes que eles sejam uma realidade. Na hora de oficializar, no entanto, às vezes há um bloqueio. Por se tratar de algo que envolve tantas ideias diferentes, como outros pais fazem? Como decidir o nome ideal? E se mais gente quiser opinar?

Não há uma resposta certa, nem uma regra a ser seguida. Quando analisadas, as listas dos nomes mais populares de cada ano estão sempre mudando, uma vez que as tendências (logo, as inspirações) variam. É provável que você conheça mais Fábios e Cristinas do que Enzos e Valentinas na sua faixa etária, por exemplo.

A popularidade dos nomes muda porque a sociedade está sempre em processo de mudança: a linguagem, a arte e os costumes de hoje não são os mesmos de cinco anos atrás, quem dirá de algumas décadas. Logo, o simbolismo de um nome pode se transformar com o passar do tempo.

O processo muda de acordo com cada um. É subjetivo e pessoal, cabendo a cada família. Ainda assim, todo ano tem aqueles nomes que são os favoritos. Quer ver? 

Olha só a lista dos nomes mais comuns em 2020, segundo o registro civil:

MIGUEL
31.035 registros
ARTHUR
30.165 registros

HEITOR

26.378 registros

HELENA

24.991 registros

ALICE

22.780 registros

THEO

21.254 registros

DAVI

21.090 registros

LAURA

19.916 registros

GABRIEL

19.330 registros

GAEL

19.303 registros

BERNARDO

18.625 registros

SAMUEL

16.036 registros

JOÃO MIGUEL

14.445 registros

ENZO GABRIEL

14.416 registros

VALENTINA

14.289 registros


30.000 Miguéis, 25.000 Helenas, quantos bebês novos 💛

Para facilitar sua escolha, reunimos alguns fatores que podem ajudar na hora de selecionar os nomes favoritos.

O significado do nome

Talvez o motivo mais comum na escolha do nome de uma criança seja o significado, tanto no sentido tradicional (da palavra, do dicionário), quanto pessoal (o que esse nome representa para a pessoa etc.).

Optar por um nome que signifique algo que você goste é uma possibilidade, e as opções são infinitas. O nome Helena é atribuído ao significado de “a reluzente”, enquanto Guilherme é “o protetor”, por exemplo. Basta pesquisar por termos que combinem com o que você gostaria que o nome do seu bebê significasse e procurar por um que agrade a você e aos outros envolvidos nessa jornada.

Além desse caminho, o significado pode ser algo particular, como um nome que homenageia outro membro da família ou um artista, ou uma simples inspiração vinda de um filme, série, novela ou até música que você goste.

O mais importante é que o nome simbolize algo positivo para você, independentemente do quão profundo ou relevante seja esse significado.

Sonoridade e grafia

O som e a escrita do nome também são pontos muitas vezes considerados e, assim como o significado geral, também variam de acordo com cada pessoa.

Essas questões também podem carregar certo significado. Pode haver uma preferência por nomes compostos, nomes que rimem com outros nomes ou que comecem com a mesma letra dos irmãos. Ou ainda a família pode fazer essa escolha por conta dos apelidos que possam surgir a partir do nome original.

A preferência pode ser por nomes mais longos, como Bernardo e Catharina, ou curtos como Luna, Théo, Maya e Guido.

Se a escolha for difícil, a sonoridade e a grafia podem servir como ponto de partida (ou de eliminação) de alguns nomes.

Há quem já pense na alfabetização. Afinal, é provável que a Lia e o Tom aprendam a escrever o nome antes do Guilherme e da Stephanie. Mas é claro que isso não é um problema: todos saberão escrever seus nomes em algum momento.

Falando em alfabetização, sabe o que vem antes dela? Leia sobre alfabetização sem pressa

Afinal, quem escolhe o nome da criança? 

Além das nossas próprias opiniões como pais, é impossível não receber um retorno das pessoas ao redor. Sejam os avós, tios e outros parentes do bebê ou até amigos nossos, o processo de escolha do nome sempre engaja outras figuras que gostam de ouvir as possibilidades e sugerir outras ideias.

Quando a criança a caminho não é a primeira, a decisão pode ficar ainda mais complicada, já que muitas vezes o irmão ou irmã mais velho(a) também quer ter uma chance de escolher o nome do pequeno.

E por que não incluí-lo na decisão? Assim, ele se sente parte desse processo tão importante que é o aumento da família. Talvez ele possa sugerir alguns nomes e vocês escolhem algum da lista ou vice-versa. Ou quem sabe vocês procuram juntos por inspirações em livros e filmes?

Mas é claro que a decisão final é dos responsáveis pela criança, sempre! Sem pressão: vocês é que decidem quando, como e o quanto deixar outras pessoas opinarem.


Esse processo é bem complexo e envolve mais aspectos do que a gente imaginava. Escolher o nome da criança é algo que pode parecer impossível, mas quando damos o tempo necessário e pensamos bem, ele surge e parece se encaixar perfeitamente.

Seja uma homenagem a alguém, um nome inspirado em um personagem de filme, algo que combine com seu próprio nome ou que tenha significado ou origem interessante, respire fundo: o nome escolhido vai combinar com a criança mais cedo ou mais tarde.

E uma coisa é certa: logo menos, você vai ter dificuldade em pensar em qualquer nome que não seja esse! 

Se preparando para o nascimento do seu bebê? Saiba mais sobre essa fase:

Tags deste conteúdo
Mostre para mais alguém: