Tamanho da fonte: a a a
Ir para o conteúdo
Para mães e pais 
em fase de crescimento.

Redes sociais interferem no aprendizado das crianças?

Monique Gonçalves MG
ter, 28/09/2021 - 10:30
Representando o vício em redes sociais, menina mexe no celular, com os braços apoiados sobre uma mesa com um caderno

As redes sociais já fazem parte da vida das nossas crianças. E não é incomum nos depararmos com perfis de crianças interagindo com o mundo digital em diversas plataformas, pedindo curtidas e seguidores.

Pois é, além de fonte para consultas e pesquisas, a internet é também um meio de comunicação e interação. É um parquinho onde todo mundo se encontra. E isso pode ser bom ou ruim. Depende do uso! Vamos conversar sobre isso?

Primeiro vamos falar aqui sobre a influência na aprendizagem das crianças, depois vamos abordar um pouco sobre como reverter essa situação ao nosso favor, utilizando dessa tecnologia como estratégia de ensino.

A influência das redes sociais no processo de aprendizagem infantil

Sabemos que todo excesso é prejudicial. Se uma criança fica por horas numa rede social, por exemplo, poderá ter algumas questões de desenvolvimento afetadas.

A coordenação motora global é uma delas. Está relacionada ao equilíbrio, movimento e envolve atividades, como chutar uma bola, correr, pular, dançar, dominar seu próprio corpo no espaço – atividades que a criança deixa de fazer quando escolhe ficar só no celular.

O desenvolvimento da linguagem também pode ser impactado. Para desenvolver vocabulário e habilidades sociais, a interação social é extremamente importante. E ela fica muito restrita quando uma criança se limita a permanecer apenas no contato virtual.

Não podemos esquecer da questão emocional, numa entrevista concedida para o Hospital Santa Mônica, o Dr. Marcel Vella Nunes, psiquiatra, aponta alguns riscos para o uso excessivo da rede social, e um deles é o maior risco de depressão.

Todos esses fatores influenciam na aprendizagem.

Muitas vezes, quando a família procura o psicopedagogo, é porque desconfia que a dificuldade de aprendizagem esteja ligada a algum fator de ordem neurológica, como um transtorno, por exemplo. Mas raramente pensa que esta dificuldade pode estar associada a uma rotina mal elaborada, na qual a criança fica a maior parte do tempo em telas e redes sociais.

Sempre digo às famílias que atendo que o sucesso de uma boa aprendizagem é uma via de mão dupla entre os profissionais e a própria família. Não adianta trabalharmos habilidades importantes para o desenvolvimento da criança no consultório, se em casa não existe uma rotina que auxilie nesse processo. Uma criança que faz uso da internet a maior parte de seu tempo, provavelmente terá danos em sua aprendizagem.

Como tornar a tecnologia aliada do aprendizado das crianças?

Mas como reverter essa situação? Bem, a família precisa sentar com a criança para, juntos, traçarem um cronograma para o bom uso da internet.

Lembre-se: existe uma idade mínima para o uso das redes sociais: 13 anos, para a maioria das plataformas. Apesar da normalização do uso das redes durante a infância, o desafio de segurar esse ingresso nas redes sociais vale a pena.

A internet não é sempre vilã. O primeiro combinado pode estar justamente na explicação de que não temos apenas as redes sociais na internet.

Existem outras possibilidades de uso da internet, que podem inclusive beneficiar a aprendizagem: uma pesquisa de um determinado trabalho escolar, jogos online que possam colaborar com os conteúdos que estão sendo trabalhados em sala de aula, um filme divertido que seja voltado para a faixa etária da criança, vídeos que ensinem o passo a passo da construção de algum brinquedo ou objeto. Internet não é sinônimo de rede social!

Brincadeiras online também podem ser utilizadas para ajudar no aprendizado das crianças. Confira algumas neste artigo.

O fato é que a aprendizagem se dá por meio de experiências, convivência e estímulo de habilidades importantes. É um processo que não para, e que acontece de forma adequada a cada estágio do desenvolvimento da criança. Essa construção só é viável com a interação e a intervenção necessária, o que absolutamente não acontece quando uma criança está imersa no mundo das redes sociais.

Para entender mais sobre o impacto das redes sociais

Deixo aqui como dica o documentário da Netflix “O dilema das redes”, que aborda de forma muito esclarecedora o quanto as redes sociais podem modificar nosso comportamento e desenvolvimento como um todo.

Sobretudo, que toda família possa equilibrar a rotina dos filhos, para que seu desenvolvimento aconteça de forma adequada e segura.

Quer saber mais sobre o assunto? Leia aqui: O excesso de tempo de tela faz mal para o cérebro da criança?

Tags deste conteúdo
Mostre para mais alguém: