A+
A-
Para mães e pais 
em fase de crescimento.

Novidades:

Ninhos do Brasil + Carochinha Editora: Ninhos do Brasil se uniu à Carochinha Editora, selecionando histórias que auxiliam nas questões enfrentadas em diferentes fases. Confira!

Piaget para famílias: quais são as fases do desenvolvimento cognitivo?

Ninhos do Brasil NB
qua, 21/04/2021 - 11:28
Mãe e filha brincam com blocos de montar para favorecer o desenvolvimento infantil.

Um belo dia, seu filho de três/quatro anos pega o controle remoto e escolhe sozinho seu desenho favorito na TV. “Como ele aprendeu a fazer isso?”, você se pergunta. E é bem possível que essa surpresa se repita muitas vezes, já que eles não param de aprender – mesmo quando não estão sendo formalmente ensinados.

Situação dois: essa mesma criança, tão esperta e tagarela não entende quando você tenta explicar o alfabeto, que B com A, faz BA. Por quê?

Em resumo: como as crianças aprendem?

Essa pergunta deu origem a diversas teorias da aprendizagem e do desenvolvimento cognitivo infantil. Filósofos, professores, pedagogos, psicopedagogos, médicos e psicólogos estudam a fundo o tema até hoje.

Mães e pais não precisam virar especialistas em teorias do desenvolvimento e da aprendizagem, mas entender alguns conceitos ajuda na compreensão do desenvolvimento dos nossos filhos e também na conversa com a escola.

“É importante para aqueles que lidam de alguma forma com um ‘ser em formação’, buscar compreender o processo do desenvolvimento humano, e isso vale para os pais também”, afirma a psicopedagoga Monique Gonçalves.

A mais famosa das teorias do desenvolvimento cognitivo foi desenvolvida pelo biólogo suíço Jean Piaget (1896-1980).

Para Piaget, o aprendizado é construído pela criança durante sua relação com objetos e pessoas. Essa é a ideia base da teoria chamada construtivismo.

Cada nova descoberta é assimilada e acomodada junto ao que a criança já conhecia do mundo, tornando-o cada vez mais amplo. Gradualmente, as relações se formam e as coisas começam a fazer sentido na cabeça da criança.

As “ferramentas mentais” para essa construção mudam conforme a faixa etária e também conforme o ambiente e estímulos. Assim, o desenvolvimento cognitivo começa desde o nascimento e se divide em 4 estágios principais: sensorial, simbólico, concreto e formal. Vamos entender melhor cada um deles?

As 4 fases do desenvolvimento cognitivo infantil segundo PiagetInfográfico apresentando as fases do desenvolvimento infantil. São elas: sensório-motor, de 0 a 2 anos, em que o bebê aprende explorando; fase pré-operatório, de 2 a 7 anos, em que há domínio da linguagem; fase operatório concreto, de 7 a 12 anos, em que há raciocínio mais lógico; e fase operatório formato, a partir de 12 anos, em que há pensamento abstrato.

Estágio sensório-motor (0 a 2 anos):

Nessa fase, as crianças aprendem testando seus próprios reflexos e movimentos, desenvolvendo a percepção do próprio corpo e dos objetos. O entendimento do mundo se dá por experimentação e interação com o mundo à volta.

Sabe aquela mania de levar tudo até a boca? E de jogar as coisas no chão? São formas de construir conhecimento nessa fase!

Estágio pré-operacional ou simbólico (2 a 7 anos):

Quando começam a dominar a linguagem e os nossos símbolos de comunicação, começam também a imitar, representar, imaginar e classificar.

Nessa fase, por exemplo, a palavra carro já pode gerar a imagem mental de um carro, mesmo que não tenha nenhum na sua frente.

A criança ainda é egocêntrica (se vê no centro de tudo e entende o mundo a partir da sua própria vivência) e não tem a capacidade de se colocar no lugar dos outros. Esse é um longo processo!

Faz parte dessa visão egocêntrica, achar que a natureza e os objetos agem de forma independente. Se tropeçou, diz que a calçada é a culpada e não ela própria. Xinga o brinquedo por ter “se” estragado, ou responde um sincero “não fui eu, foi a minha mão!”. Também pode confundir realidade e fantasia, e ainda ter dificuldade de distinguir certo e errado.

Brincar de faz de conta, de comidinha, de criar histórias e desenhar fazem parte do aprendizado nessa fase.

Estágio operatório concreto (7 a 11/12 anos):

O egocentrismo diminui e a criança passa a ter maior capacidade de se colocar no lugar do outro e entender conceitos morais de certo e errado por volta dos 7 anos.

Nessa fase, as crianças apresentam maior capacidade de pensar soluções mentais para problemas reais. As informações que receberam até aqui começam a se conectar num raciocínio mais lógico, que considera vários aspectos ao mesmo tempo.

Conseguem estabelecer relações e agrupar objetos ou símbolos por semelhança ou diferença. Nesse processo, começa a alfabetização: a letra se liga a um som, e o “plim” acontece. Outros aprendizados se constroem a partir da observação das coisas e pela tentativa e erro.

Um exemplo clássico é a compreensão de que dois copos com diâmetros diferentes – um cheio e outro até a metade – podem ter a mesma quantidade de líquido. É a noção de espaço e volume se consolidando!

As operações matemáticas vão ficando cada vez mais complexas: se no início precisam de objetos concretos para somar ou subtrair, em pouco tempo já conseguem fazer operações com grandes números.

Estágio operatório formal (a partir de 12 anos):

Aqui, a capacidade cognitiva é muito próxima da dos adultos. O adolescente consegue fazer deduções e trabalhar com hipóteses mais elaboradas a partir do pensamento lógico e também do abstrato.

Começa a entender teorias, doutrinas e conceitos, sendo capaz de fazer leituras críticas do mundo ao redor (e também criticar muito os pais!). Esse processo reforça a vontade de independência e autonomia, enfim, assumir suas opiniões, personalidade e posição no mundo!

Como estimular o desenvolvimento infantil?

Saber o que esperar de cada fase não significa esperar passivamente a formação das estruturas mentais acontecer.

Um dos nossos papéis como mães e pais, e também da escola, é apresentar o mundo, um ambiente que estimule perguntas para que elas possam construir o próprio conhecimento.

Vamos voltar lá no início do texto, quando falamos de uma criança de 3/4 anos. Como ela aprendeu a mexer no controle remoto? Observando e testando! Percebeu que você fazia isso, apertou muitos botões errados até descobrir o certo para assistir ao seu desenho favorito.

O importante é oferecer um ambiente afetuoso, seguro e com mais coisas interessantes além da TV para ela explorar, testar e descobrir. Crianças são curiosas e amam aprender!

Algumas crianças até podem desenvolver o interesse e o aprendizado das letras antes do tempo, mas não há motivos para acelerar o processo ou pular etapas, se isso não conversa com os interesses dela.

Se ela já acompanha uma história, e já tenta contar do seu jeito com apoio das ilustrações, ela está num ótimo caminho de desenvolvimento.

Saiba mais sobre o desenvolvimento da criança de 4 anos.

E o desenvolvimento infantil na pandemia?

Quando vemos as crianças brincando juntas com os colegas, fica claro o quanto uma aprende com a outra. Elas pegam a mania de falar como o amigo fala, descobrem novos gostos - “o fulano me falou de um jogo bem legal, posso baixar? - e aprendem a ter empatia ao se preocuparem com os amigos.

Mas e as crianças na pandemia? Longe da escola, com aulas virtuais, as crianças podem perder um pouco do contato com essas experiências e aprendizados. Primeiro, é preciso lembrar que é uma fase: não sabemos bem quando, mas uma hora eles vão poder brincar juntos de novo.

A partir daí, vale tentar dar estímulos de outra forma em casa: montando uma videochamada com os colegas do seu filho, lendo histórias sobre empatia e companheirismo, brincando junto em família, conversando e mais.

Confira dicas do que fazer com a criança online: Brincadeiras online: brincar no celular pode ser positivo?

O mais importante é se manter unido - e protegido - para enfrentar essa fase e dar apoio à criança!

Agora que já conhecemos um pouco de cada fase, conseguimos entender melhor não só a explicação da professora na reunião, mas também o que está acontecendo na cabeça dos nossos filhos.

E, se você ainda tiver dúvidas se o desenvolvimento está aquém ou além, não hesite em procurar uma ajuda profissional, conversar na escola, ou com um profissional de psicopedagogia. Eles saberão dar dicas de como você pode estimular o melhor de cada fase.

Ah, você sabia? Além de pesquisas científicas e estudos, a observação do desenvolvimento dos três filhos foi fundamental também para o desenvolvimento da teoria de Piaget.