A+
A-
Para mães e pais 
em fase de crescimento.

Novidades:

Ninhos do Brasil + Carochinha Editora: Ninhos do Brasil se uniu à Carochinha Editora, selecionando histórias que auxiliam nas questões enfrentadas em diferentes fases. Confira!

A escuta ativa me fez vencer a dificuldade com a matemática

Monique Gonçalves MG
sex, 06/05/2022 - 18:26
Fui uma criança com algumas dificuldades de aprendizagem, especificamente em matemática. Lembro-me de chorar muito, porque não conseguia resolver as questões de situações-problema que a professora passava na lousa, me sentia incapaz. Isso me afetava muito em vários aspectos.

Até que meu pai me chamou para conversar

Meus pais trabalhavam o dia inteiro e me ajudavam da melhor maneira que podiam, mas eu sentia que estava sozinha, pedindo ajuda sem ninguém me ouvir. Um dia, meu pai me chamou na mesa da cozinha e perguntou: "Monique, qual é a sua dificuldade?".

Ele continuou: "Por que você chora para fazer as lições? Me conte, quero tentar te ajudar!"

Foi então que eu respondi: "Pai, eu tenho muita dificuldade de resolver essas questões de situações-problema, se a professora passar a conta 'montadinha', eu consigo fazer, mas quando preciso ler e resolver, não consigo entender!"

 A importância do acolhimento familiar

Papai então me disse: "Vou tentar te ajudar!". E começou a me auxiliar, com seu jeitinho simples e, naquela época, com pouca instrução – ele só terminou seus estudos quando eu já era adulta. Nunca mais me esqueci desse momento! 

Naquela hora, meu pai não apenas me ouviu, mas parou para me mostrar que se importava com meu desenvolvimento, com minha angústia e com meu momento de dificuldade escolar. 

Confesso que derramei algumas lágrimas ao escrever esse relato para vocês. Meu pai não está mais aqui, mas deixou registrado em meu coração essa escuta ativa, que jamais esquecerei e que também tento passar aos meus filhos, alunos, pacientes…

Seguir e praticar o exemplo 

E quantas vezes nos deparamos com momentos como os que eu vivi? Quando nossos filhos estão passando por alguma dificuldade escolar e, movidos pela força do hábito, acabamos deixando passar, não damos a devida importância. Ou pior: julgamos ser aquela “preguicinha” de criança.

Tudo o que precisamos é aprender a desenvolver a “escuta ativa”, assim como meu pai me escutou naquele dia. Essa é a escuta do coração, que respeita o limite do outro e também acolhe seus anseios e medos.

Quando a criança apresenta alguma dificuldade de aprendizagem, eu diria que a primeira coisa a se fazer é escutar e tentar entender o que ela sente. 

Essa prática faz toda a diferença na evolução. Inclusive num processo avaliativo, em que profissionais, como psicopedagogos, por exemplo, observam a criança como um todo: não só suas habilidades acadêmicas, mas socioemocionais também. Afinal, sabemos que as emoções interferem de maneira significativa no desenvolvimento de aprendizagem de todo ser humano.

Portanto, sabe aquele choro para ir à escola? Aquelas lágrimas quando precisa fazer a lição de casa? Tente escutar, talvez seu filho esteja tentando lhe dizer algo que somente com a escuta ativa você poderá entender, assim como um dia alguém me escutou!

Neste texto, a psicopedagoga trouxe um relato pessoal sobre dificuldades na escola. Se quiser entender mais sobre o assunto, confira este outro conteúdo assinado por ela: Além do boletim: como lidar com problemas de aprendizagem 

Tags deste conteúdo