Tamanho da fonte: a a a
Ir para o conteúdo
Para mães e pais 
em fase de crescimento.

Controle Parental: como deixar a internet mais segura para as crianças?

Ninhos do Brasil NB
seg, 10/01/2022 - 10:30
Uma criança navega pela internet de forma segura e com controle parental.

O controle parental é uma forma de tornar a navegação pela internet mais segura para crianças. Afinal, perigos existem no mundo real ou virtual, e cabe a nós proteger nossos filhos o máximo possível.

Você deixaria seu filho ou filha, ainda criança, solto e sozinho em uma cidade que você não conhece? Com carta branca para entrar em qualquer tipo de lugar?

Se você respondeu não, vale lembrar que a internet é mais ou menos isso: um mundo inteiro de possibilidades – para o bem e para o mal. Bullying, assédio, golpes, pornografia, extremismos, notícias falsas, captura de dados e de informações privadas estão entre os perigos reais presentes na internet.

Mas, calma, isso também não significa que você vai ter que proibir o acesso à internet para a vida toda. A ideia do controle parental é justamente auxiliar no processo de educação digital e facilitar o monitoramento quando os pais ou responsáveis não podem estar perto. Vamos entender mais?

Mas, antes, um aviso: por mais recursos de bloqueios que a gente use, nada elimina a necessidade e a eficácia de uma boa conversa sobre comportamento e segurança online. É importante explicar para as crianças, especialmente as mais crescidas, sobre os perigos da internet e os motivos da adesão ao controle parental. Afinal de contas, é a partir do diálogo que se cria a relação de confiança entre pais e filhos.

Agora, sim, vamos saber mais sobre controle parental.

O que é o controle parental?

Controle parental é um conjunto de ferramentas que dá aos pais a possibilidade de controlar e restringir ações das crianças durante a navegação pela internet. 

Por meio do controle parental, é possível monitorar o acesso a sites, bloquear conteúdos impróprios para a idade, determinar o tempo de tela e limitar ou restringir compras, mensagens e uso da câmera.

Existem aplicativos e softwares desenvolvidos especialmente para essa segurança. Além disso, há mecanismos oferecidos pelas próprias empresas responsáveis pelos sistemas operacionais, redes sociais ou sites. 

Como funciona o controle parental?

As ferramentas de controle parental funcionam a partir da conexão entre a conta principal dos pais e a dos filhos. Elas vinculam as contas e aparelhos utilizados, e uma senha fica disponível apenas para os tutores.

Além dos softwares e aplicativos exclusivos para isso, é possível ajustar as configurações de sites específicos para a impedir o acesso a conteúdos impróprios.

Controle parental nas redes sociais

As redes sociais contam com sistemas específicos de proteção a menores de idade. 

Os mecanismos de proteção infantil do Facebook são explicados aqui. A criação de perfil na rede só é possível a partir dos 14 anos. Restrições, mecanismos de denúncia e banimentos de conteúdos que possam remeter à exploração infantil estão entre as políticas da empresa. A plataforma oferece também uma biblioteca de alfabetização digital, com conteúdos de prevenção ao bullying e promoção segurança online em geral. As políticas são bem parecidas para as outras redes do grupo (agora chamado Meta), Instagram e WhatsApp.

O TikTok oferece nas configurações a opção Sincronização Familiar, onde é possível gerenciar o tempo de tela e restringir conteúdos impróprios. Termos de busca e acesso a mensagens diretas também podem ser configurados por ali. Além disso, a plataforma desenvolveu um guia para pais e mães responsáveis entenderem as políticas de segurança da rede.

Controle parental nas plataformas de streaming

Serviços de streaming de vídeos, como Netflix e Prime Vídeo, têm versões específicas para crianças, que bloqueiam o acesso a vídeos impróprios, com cenas de nudez ou violência, por exemplo. Nesse caso, é necessário um PIN para desbloquear esse tipo de conteúdo.

Já o YouTube, além de ter o aplicativo próprio para crianças (YouTube Kids), também permite que os pais restrinjam conteúdos dos filhos mais velhos através do Google Family Link.

Controle parental nos mecanismos de busca

No Google, o mecanismo chamado Safe Search (pesquisa segura, em português) bloqueia possíveis resultados maliciosos e de conteúdo adulto nas pesquisas. Além disso, também é possível bloquear palavras e termos específicos que remetem a conteúdos eróticos ou violentos, por exemplo.

O Google desenvolveu a plataforma educativa Seja incrível Na Internet. No site, a criança aprende brincando por meio de jogos interativos os conceitos e atitudes sobre segurança e cidadania digital. São quatro jogos ou jornadas que ensinam a se proteger contra fraudes e armadilhas, proteger dados e informações, combater o cyberbullying e denunciar desvios.

Aplicativos de controle parental

Existem aplicativos para celulares e tablets que permitem gerenciar tempo de tela e chamadas de números não cadastrados, bloquear download de outros aplicativos e limitar o envio de imagens etc. 

Alguns aplicativos gratuitos para controle parental são:

Google Family Link: o aplicativo disponível para aparelhos Android possibilita controlar as compras no Google Play Store, rastrear a localização, ocultar apps, bloquear o dispositivo e limitar o tempo de uso. 

Screen Time: o aplicativo gratuito está disponível para o sistema Android e iOS. Ele permite monitorar o tempo da criança em dispositivos móveis a partir do seu próprio celular, ver quais aplicativos estão sendo usados e por quanto tempo, ver quais sites foram visitados e termos pesquisados nos dispositivos dos filhos. Você ainda pode receber uma notificação quando seus filhos tentarem instalar um novo app e fazer um “pacto de tempo de tela familiar”, para conversar com seus filhos antes de estabelecer um acordo mútuo (uma ótima forma de ajudar seus filhos a entender os limites).

Outro aliado importante para a segurança da família online são os antivírus, que protegem também os computadores. Já existem opções de antivírus integrados a funções de controle parental. A partir deles, é possível limitar o tempo limite de acesso à internet, supervisionar as buscas realizadas, verificar downloads, analisar postagens nas redes sociais, entre outras funções.

Por fim, vale ressaltar que o uso consciente da internet é importante para pessoas de todas as idades. É verdade que, na maioria das vezes, as crianças navegam melhor no mundo virtual do que nós, adultos. Mas entender um pouco do funcionamento e dos perigos da rede é importante para que possamos conversar e auxiliar as crianças também nesse universo. 

Você já se perguntou sobre o efeito das telas no cérebro da criança? A psicopedagoga e neurocientista Flávia Valadares falou sobre o assunto nesta matéria: 

Tags deste conteúdo
Mostre para mais alguém: