Tamanho da fonte: a a a
Ir para o conteúdo
Para mães e pais 
em fase de crescimento.

Sedentarismo infantil na idade escolar: o que é e como evitar?

Ninhos do Brasil NB
seg, 11/10/2021 - 10:30
Uma criança está deitada com rosto sério no sofá, olhando para o celular que está em suas mãos, representando o sedentarismo infantil.

Sedentarismo infantil: taí uma preocupação que nossos pais e avós não tiveram. Se antigamente os pais brigavam pelo “vem pra dentro de casa”, agora quase imploramos para que as crianças brinquem mais ativamente. Isso também está acontecendo aí na sua casa?

Amarelinha, pega-pega, pique-bandeira, queimado… Lembra? Brincadeiras que fizeram parte da nossa infância estão cada vez menos presentes na vida das crianças.

Agora, faz parte do dia a dia da criançada se divertir através dos videogames, do celular, do tablet, do computador e da televisão.

Essa preferência pelos eletrônicos (que, em muitos momentos, são nossos aliados!), pode favorecer o sedentarismo infantil, além de muitos outros efeitos na saúde dos nossos aventureiros.

Vamos conversar sobre isso?

O que é o sedentarismo?

A pandemia mudou nossas vidas e o que já era preocupante se agravou: de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), um em cada quatro adultos não realiza atividade física suficiente.

Essa ausência de exercícios é uma das características do sedentarismo, bem como permanecer muito tempo na mesma posição e não ter energia para realizar atividades simples do dia a dia.

Mas você sabia que o que define se uma pessoa é sedentária ou não é a quantidade de calorias que ela gasta por dia? Pessoas adultas ativas gastam mais de 2.200 calorias por semana enquanto pessoas sedentárias gastam menos que isso.

O que é o sedentarismo infantil?

Há quem pense que as crianças, por terem bastante energia, não podem se tornar sedentárias. Porém, mesmo antes da pandemia, os dados da OMS revelavam o contrário: 78% das crianças brasileiras estão propensas ao sedentarismo infantil por não fazerem o mínimo de atividade física indicado por dia.

E, além da pouca prática de atividade física, quais são as causas do sedentarismo infantil? Ficar muito tempo na mesma posição, além da falta de incentivo para mudarem seus hábitos!

Sedentarismo infantil: um alerta para as consequências

O sedentarismo infantil pode trazer diversas consequências para a saúde das crianças. Em primeiro lugar está a obesidade infantil, que, de acordo com a OMS, pode afetar 75 milhões de crianças no mundo até 2025.

Mas, para além da obesidade, o sedentarismo infantil também afeta a hora de dormir, por desregular os hormônios das crianças, importantes para uma melhor qualidade do sono.

A falta de força muscular e o cansaço excessivo são outras consequências causadas pelo sedentarismo infantil e que merecem atenção. Afinal, crianças cansadas não conseguem estudar nem brincar direito.

Benefícios de proporcionar uma infância ativa para as crianças

Brincar, correr, pular… O importante é se mexer! A prática de atividades físicas ajuda a evitar o sedentarismo infantil e traz diversos benefícios para as crianças.

Elas se sentem mais animadas para estudar, realizar atividades do dia a dia e desenvolvem mais rápido suas habilidades motoras e cognitivas. Além disso, crianças que têm a infância ativa também têm mais chances de praticar atividades físicas pelo resto da vida, o que evita problemas no futuro!

Tempo de atividade física para crianças

Calma, não precisa ser cronometrado. O fundamental é que as atividades sejam prazerosas e adequadas à idade da criança.

Mas, para ter um parâmetro de tempo, reunimos aqui algumas orientações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) sobre as atividades físicas para crianças por faixa etária:

  • De 0 a 2 anos: o tempo indicado é de pelo menos 180 minutos (3 horas) por dia de atividades físicas típicas da idade. Brincar livremente, explorar suas capacidades e descobrir o ambiente já demanda um alto gasto energético! Entende-se como atividade física nessa faixa etária as atividades leves, como ficar de pé, movendo-se, rolando e brincando e, conforme adquirem as habilidades, as mais intensas como saltar, pular e correr.
  • De 3 a 5 anos de idade: a SBP recomenda os mesmos 180 minutos diários de atividade física por dia, de qualquer intensidade. As habilidades motoras tendem a estar mais desenvolvidas, então aqui considere brincadeiras ativas, andar de bicicleta, atividades na água, pega-pega, brincadeiras e jogos com bola. Além disso, se for do interesse da criança e da família, pode-se começar com as atividades estruturadas, como natação, danças, lutas, esportes coletivos, entre outras.
  • De 6 a 19 anos: para essa faixa etária, a SBP recomenda o mínimo de 60 minutos de atividade física por dia, de intensidade moderada a vigorosa. Pode ser com atividades estruturadas ou brincadeiras ao ar livre. “Atividades de intensidade moderada a vigorosa são aquelas que fazem a respiração acelerar e o coração bater mais rápido, tais como pedalar, nadar, brincar em um playground, correr, saltar e outras atividades que tenham, no mínimo, a intensidade de uma caminhada”, explica o guia da SBP.

O que fazer para evitar o sedentarismo infantil?

Ok, agora que entendemos o que é o sedentarismo infantil, suas causas e consequências, vamos às dicas de como tirar a criançada do sofá!

Ah, e comece aos poucos. Depois de tanto tempo em isolamento social, é importante começar as atividades físicas com calma. O corpinho infantil também sente os efeitos do sedentarismo.

  1. Inclua o movimento e a atividade física no dia a dia: que tal subir escadas em vez de chamar o elevador? Ou dar uma caminhada pelo bairro? Se você costuma levar e buscar seu filho na escola de carro, experimente estacionar dois quarteirões antes ou depois. Assim vocês evitam o engarrafamento da frente da escola e ainda aproveitam para caminhar um pouquinho;
  2. Faxina divertida: as atividades de cuidado da casa também são uma boa oportunidade para colocar o corpo em movimento. Acredite: varrer, passar pano nos móveis, dobrar cobertas, estender e recolher roupas pode ser bem divertido para as crianças. Que tal colocar uma música dançante para acompanhar? Talvez não seja tão rápido ou eficiente quanto você gostaria, mas lembre-se que é também um aprendizado para o futuro!
  3. Atividades físicas estruturadas: dança, judô, futebol, vôlei, natação, atividades circenses, atletismo… Algumas prefeituras, escolas, clubes e outras instituições oferecem as mais variadas modalidades de atividades físicas estruturadas para crianças gratuitamente. Com a pandemia, muitas dessas atividades foram suspensas, mas agora começam a ser retomadas. Vale pesquisar o que tem mais perto de você.
  4. Usar as telas a seu favor: se não pode vencê-los, una-se a eles! Isso mesmo, se a criança só quer ficar na tela, vale investir em jogos e vídeos que incentivem a atividade física. Existem jogos criados justamente para isso, com coreografias e passos para seguir. Além disso, no YouTube é possível encontrar vídeos de atividades, como yoga e alongamento infantil.
  5. Faça exercício junto: não esqueça que o exemplo é o melhor professor! Vale correr junto na quadra perto de casa, fazer exercícios localizados em casa, dançar, pedalar juntos. Além de fazer bem para o corpo, cria memórias e vínculo para sempre.
  6. E, claro, brincadeiras: pega-pega, esconde-esconde, andar de bicicleta, amarelinha, jogo de bola. Aproveite para lembrar as brincadeiras do seu tempo! Chame os amiguinhos para brincar junto, que é mais divertido. Mas não se esqueça de cobrar o uso da máscara de proteção e higienizar os brinquedos.

Aliás, reunimos três brincadeiras para espantar o sedentarismo sem tanto contato físico:

1. Caça ao tesouro:

Pode dar um trabalhinho, mas vale a pena para movimentar as crianças! Ela funciona assim: escondemos um objeto de casa (o tesouro) e colocamos diversas pistas para as crianças procurarem. Aqui, vale usar a criatividade, já que as pistas também podem fazer as crianças desenvolverem o raciocínio lógico!

2. Morto e vivo:

Essa brincadeira é super fácil e vai proporcionar várias risadas em família! Nela, quando os adultos falam “VIVO”, as crianças devem ficar em pé e, quando falam “MORTO”, as crianças devem se agachar. Fique alternando os comandos para que as crianças se movimentem bastante!

3. Estátua

Música sempre é bom, não é? Aqui vamos uni-la à brincadeira! Funciona assim: você vai colocar uma música para tocar e, quando apertar o pause, as crianças devem ficar paradas como estátuas! É uma ótima brincadeira para aquelas crianças que amam dançar!


Com essas dicas, esperamos que todo mundo aceite tirar o olho do celular e o bumbum do sofá 🤭 pelo menos um pouquinho!

Além de comprometer a saúde física, o excesso de tempo de tela faz mal para o cérebro da criança. A psicopedagoga e neurocientista Flavia Valadares explica tudo neste artigo.

Tags deste conteúdo
Mostre para mais alguém: