A+
A-
Para mães e pais 
em fase de crescimento.

Novidades:

Ninhos do Brasil + Carochinha Editora: Ninhos do Brasil se uniu à Carochinha Editora, selecionando histórias que auxiliam nas questões enfrentadas em diferentes fases. Confira!

Como lidar com a “malcriação”?

Ninhos do Brasil NB
sab, 08/05/2021 - 17:18

É engraçado falar em “malcriação”, quando quem cria somos nós, né? Será que estamos criando mal mesmo ou será que é a criança se desenvolvendo e demonstrando personalidade? Mas como lidar? Vem pra nossa rede de carinho falar sobre isso 😊

Geilma Gomes de oliveira Gd

Geilma Gomes de oliveira Gd

Paulo Afonso, BA

Bom dia.
Meu filho tem 6 anos e está muito rebelde e respodao acho que não estou conseguindo impor limites .

Faça login ou crie uma conta para comentar.
sab, 18/09/2021 - 06:30
Rayne Rodrigues1 RR

Rayne Rodrigues1 RR

Fartura, SP

Estou passando por isso
O meu tem 5 anos
Ele também é muito estressado tudo o irrita.
Tenho vontade de bater nele o tempo todo
Não sei como agir como por limites

Faça login ou crie uma conta para comentar.
qua, 22/09/2021 - 22:05

Ninhos do Brasil NB

São Paulo, SP

Oi, Rayne! Obrigada por compartilhar sua aflição com a gente!

Você certamente não está sozinha! Aliás, estamos justamente produzindo um conteúdo sobre a raiva - uma emoção que todos nós (crianças e adultos) às vezes sentimos. O importante é aprendermos a identificar e lidar com ela sem machucar ninguém.

Que tal conversar um dia, quando todos estiverem calmos, sobre isso? O que deixa cada um de vocês com raiva ou irritados? São situações que a gente consegue evitar? O que ajuda a acalmar? Que tal tentar exercícios de respiração? Beber um copo de água, ou só ficar quieto um tempinho já ajuda. Aproveitar um momento calmo para ter esse diálogo é importante para apresentar as ferramentas de como lidar quando virmos a raiva se aproximando de novo.

Se quem estiver com raiva for o adulto, vale dizer "estou ficando muito irritada, preciso de dois minutos de silêncio para me acalmar". Você vai se surpreender o dia que ele usar isso "contra" você. É sinal de que seu exemplo está funcionando. Se a irritação permanecer mesmo depois das conversas, vale buscar uma ajuda na escola ou com psicóloga para investigar mais a fundo os motivos de tanta irritação.

Avisaremos aqui quando o novo texto for publicado, mas a Flavia Valadares já tem dicas preciosas de como lidar com a agressividade da criança. Depois nos conta se as dicas ajudaram? https://www.ninhosdobrasil.com.br/criancas-agressivas-se-tornam-adultos-agressivos

Faça login ou crie uma conta para comentar.
qua, 29/09/2021 - 16:56

Ninhos do Brasil NB

São Paulo, SP

Oi, Geilma! Obrigada por compartilhar essa aflição.

Você certamente não está sozinha! Nessa idade, as crianças estão passando por várias transformações e começam a se sentir "criança grande". Você já experimentou conversar francamente com ele? Falar como você se sente cada vez que ele responde de forma agressiva. Falar sobre respeito e sobre como cada um gosta de ser tratado. Eles ainda não têm a noção de empatia totalmente formada, mas conversas desse tipo ajudam nesse processo.

Além disso, é preciso deixar claro nosso papel como adultos, de zelar pela saúde e segurança deles, mas também de ensinar como viver em sociedade. Nossa, que missão! Não é à toa que às vezes ficamos com esse medo de não estar a altura, né?  Outra dica que ajuda muito é fazer combinados prévios: você vai brincar disso mais x minutos; quando chegar tal hora, você vai para o banho, quer levar um brinquedo junto?  Confia, com honestidade e respeito, você conseguirá dar a ele o melhor exemplo.

E acredite: é um aprendizado para nós adultos! A psicopedagoga Flavia Valadares falou mais sobre como construir uma relação de respeito entre pais e crianças. Confira aqui: https://www.ninhosdobrasil.com.br/relacao-pais-filhos

Faça login ou crie uma conta para comentar.
qua, 29/09/2021 - 16:54
Rayne Rodrigues1 RR

Rayne Rodrigues1 RR

Fartura, SP

Não estou sabendo lidar com a malcriação do meu filho
Eu falo ele me responde me questiona não sabe só me ouvir e obedecer
Preciso de ajuda

Faça login ou crie uma conta para comentar.
qua, 22/09/2021 - 10:09

Ninhos do Brasil NB

São Paulo, SP

Oi, Rayne! Obrigada por compartilhar com a gente!

Buscar ajuda é sempre um ótimo começo. Por um lado, sabemos o quanto o questionamento é importante para a formação do senso crítico deles, mas por outro haja paciência para lidar com isso o tempo todo, né?

Que tal aproveitar um momento de calma para conversar sobre os papéis de cada um na casa? Explicar os porquês das coisas que ele questiona num momento que não seja de briga, perguntar se ele entendeu, pedir para repetir é uma boa alternativa. Dá pra tentar fazer isso de forma lúdica, durante uma brincadeira com bonecos, por exemplo. Que tal ele ser o pai de uma criança muito mal criada para ver como ele reage? É uma boa forma de verificar se ele entendeu as "regras sociais" e de convivência. Essas brincadeiras também servem de espelho para ver como nós mesmos estamos conduzindo a relação. Não é fácil, é um processo longo. E não tenha vergonha de buscar mais ajuda. Precisamos ser fortes, mas não precisamos andar sozinhas!

Faça login ou crie uma conta para comentar.
qua, 29/09/2021 - 16:55
Cah Aguiar CA

Cah Aguiar CA

Taubaté, SP

Só de achar que as crianças são "malcriadas," a pessoa já tá começando errado rs (ficar rotulando faz mal pra elas.) Pesquisem sobre comunicação não violenta, disciplina positiva, criação neurocompatível etc... E esses "métodos" que usam apêgo, aféto, gentileza... Pra mim tudo se resume a empatia mesmo, a gente se colocar no lugar dos filhos e tentar entender as coisas "do ponto de vista" deles, e não ficar querendo controlar do nosso jeito né!! Mãe tem que pôr filho no mundo pra cuidar deles, não pra eles nos agradarem haha

Faça login ou crie uma conta para comentar.
qua, 06/10/2021 - 14:58

Ninhos do Brasil NB

São Paulo, SP

Oi, Cah! Obrigada por compartilhar suas dicas com a gente!

Rotular as crianças na hora da birra e, até mesmo, compará-las com outras, pode prejudicar a imagem que elas tem de si mesmas. Por isso, como você bem disse, é importante pegar leve na hora de ensinar algo para as crianças e ir pelo caminho da empatia, do afeto e da gentileza. Isso ajuda a construir uma relação na confiança e no respeito mútuo entre pais e filhos, muito importante não apenas para o agora, como também para o futuro.

Neste texto falamos como fortalecer o vínculo com as crianças por meio de brincadeiras. Depois nos conta se testou alguma por aí? https://www.ninhosdobrasil.com.br/pai-e-filho-como-construir-vinculo

Faça login ou crie uma conta para comentar.
qui, 21/10/2021 - 15:48
Cah Aguiar CA

Cah Aguiar CA

Taubaté, SP

Só de achar que as crianças são "malcriadas," a pessoa já tá começando errado rs (ficar rotulando faz mal pra elas.) Pesquisem sobre comunicação não violenta, disciplina positiva, criação neurocompatível etc... E esses "métodos" que usam apêgo, aféto, gentileza... Pra mim tudo se resume a empatia mesmo, a gente se colocar no lugar dos filhos e tentar entender as coisas "do ponto de vista" deles, e não ficar querendo controlar do nosso jeito né!! Mãe tem que pôr filho no mundo pra cuidar deles, não pra eles nos agradarem haha

Faça login ou crie uma conta para comentar.
qua, 06/10/2021 - 14:59
Alcimeri da Silva Batista Oliveira AS

Alcimeri da Silva Batista Oliveira AS

Várzea Paulista, SP

Olá, meu nome é Alcimeri, tenho uma bebê de 2 anos e 2 meses, e ela está entrando numa fase difícil, sempre foi muito boazinha e compreensiva agora está teimosa, não aceita limites, chora, se joga no chão, grita.
Ate levantou as mãozinhas pra me bater dia desses, tenho tentado conversar, mas no momento da irritação tudo que tento acaba piorando.
Fico perdida as vezes e sinto o olhar de cobrança das pessoas. Ela é inegociável....

Faça login ou crie uma conta para comentar.
sex, 15/10/2021 - 22:26

Ninhos do Brasil NB

São Paulo, SP

Olá, Alcimeri! Obrigada por compartilhar sua experiência!

Você sabia que os dois anos são conhecidos como a adolescência do bebê? Nessa fase, as crianças estão construindo a própria identidade e descobrindo seus limites, medos e vontades, mas ainda não têm recursos e maturidade cerebral para expressarem tudo isso. Assim, elas choram, gritam e fazem birras, o que nos deixa muitas vezes de cabelo em pé, né?

Mas não se preocupe, separamos algumas dicas de como você pode agir nesses momentos:

1) deixar que faça birra: interromper a criança no momento da birra não vai adiantar e pode causar mais estresse, tanto para você, quanto para ela. Por isso, espere com paciência a criança parar.

2) não ter vergonha: sabemos que, quando os ataques de birra acontecem em um lugar público, nem todas as pessoas entendem. Mas, o que importa, é não ter vergonha e compreender que você está dando o seu melhor!

3) olho no olho: pode ser difícil, mas após a birra da criança, tente explicar, gentilmente, o que ela fez de errado.

4) oferecer mais de uma opção: para evitar uma próxima birra, tente oferecer duas opções para a criança. Se ela costuma se recusar a comer fruta, por exemplo, pergunte qual opção ela prefere: Hoje você quer provar maçã ou banana? Que tal mamão ou morango?

Essa fase não é fácil, mas é cheia de descobertas e aprendizados, tanto para as crianças, quanto para nós. Neste texto falamos mais sobre a crise dos dois anos e como lidar com ela. Depois nos conta se ajudou? https://www.ninhosdobrasil.com.br/crianca-de-2-anos

Faça login ou crie uma conta para comentar.
qui, 21/10/2021 - 15:51