A+
A-
Para mães e pais 
em fase de crescimento.

Novidades:

Ninhos do Brasil + Carochinha Editora: Ninhos do Brasil se uniu à Carochinha Editora, selecionando histórias que auxiliam nas questões enfrentadas em diferentes fases. Confira!

Criança de 5 anos: parceria para as mais variadas conversas

Ninhos do Brasil NB
qua, 21/04/2021 - 14:41
Pai e mãe estão sentado nos chão e conversam com sua filha, uma criança de 5 anos.

Às vezes, nem dá para identificar qual é a fala do adulto, qual é a da criança:

“Você ia gostar que alguém ficasse te apressando enquanto você está colocando o sapato? Então, respeite o meu tempo!”

Quem fez esse chamado para se colocar no lugar do outro, dessa vez, foi a criança de 5 anos. Parece que o jogo virou, não é mesmo?

Seu filho está crescendo, as falas e os argumentos estão cada vez mais elaborados aos 5 anos. Agora, conversa (e pergunta!) sobre os mais variados assuntos com os amiguinhos. E fique sabendo: eles trocam impressões até sobre os pais. “Sua mãe também faz assim?”

Bem-vindos aos 5 anos! Puxa a cadeira, porque a conversa é a maior diversão dessa fase. Mas, claro, que a idade ainda traz desafios de educação também (esses vão longe!). Neste artigo, vamos falar sobre:

  • O desenvolvimento das crianças de 5 anos 

  • “Meu filho de 5 anos chora por qualquer coisa”: sobre diálogos e limites 

  • Crianças de 5 anos: 5 dicas para educar nessa fase

O desenvolvimento da criança de 5 anos

Desenvolvimento físico médio na época do aniversário de 5 anos:
Peso: 14,5 a 23,9 kg
Altura: 100 a 118,8 cm
Horas de sono necessárias: 9 a 12 horas

As crianças de 5 anos têm como principal mudança a autonomia e a independência.

Nessa fase, algumas outras características também são bem comuns:

  • A criança compartilha mais seus pensamentos e questões. É muito importante para ela que você ouça e converse também.
  • Fica mais fácil fazer amizades. Esse é um bom momento para ensinar a compartilhar brinquedos.
  • O desenvolvimento neuropsicomotor se completa: ela consegue escovar os dentes, se vestir sozinha, se equilibrar e muito mais. Tente não fazer pela criança o que ela é capaz de fazer por conta própria e tenha paciência com seus erros.
  • Sabe quais brinquedos quer usar e vai em busca deles. Isso abre oportunidade para ensinar a guardar as coisas, mostrando que, dessa forma, a criança sempre saberá onde está.
  • Ela está entendendo sua localização no tempo e espaço. “Hoje”, “amanhã”, “lá na vovó”, “em cima”, são conceitos mais concretos. Aproveite para estimular o aprendizado contando histórias reais sobre a família e o passado.
  • Tem uma noção clara do que é real e imaginário. Quando ouve ou inventa histórias, sabe que são apenas invenções. É uma fase interessante para ler livros para a criança e incentivar a criatividade.

Os 5 anos também são marcados pelas perguntas!

“Como” e “por que” fazem parte do dia a dia, já que eles querem entender mais e mais coisas. Sobre isso, vale a pena ter paciência e tentar explicar – mesmo quando a pergunta é repetida. Você vai desenvolver um poder de síntese, simplificação e explicação digno de ir para o currículo!

Mas, antes de entregar a resposta ou buscar com seu filho na internet, que tal convidar para pensar em possíveis explicações e formular hipóteses? Solte a criatividade e a curiosidade junto!

E os palavrões?

Seu filho também anda falando uns palavrões? “Cocô” e “pum” já fazem parte do vocabulário, não é? Não se preocupe, é normal! A criança está descobrindo e repetindo palavras.

Ainda assim, vale explicar que essas expressões não precisam ser faladas em todos os momentos e lugares. Também é importante ter exemplo em casa: toda a família pode colaborar e evitar palavrões para que a criança não repita.

“Meu filho de 5 anos chora por qualquer coisa”: sobre diálogos e limites

Com 5 anos, além do grande crescimento físico, a criança também passa por mudanças emocionais.

O choro, a raiva e a frustração estão presentes em todas as fases da infância – e na adulta também, não é? Nosso papel como mães, pais e cuidadores é orientar e ajudar a lidar com as emoções da melhor maneira.

Trouxemos algumas dicas para lidar com o choro da criança nessa fase, mas fica o lembrete: se o excesso de choro está te preocupando e te frustrando, não sofra sozinha(o), converse com o pediatra ou psicólogo da criança para entender os motivos e o que fazer.

  • Antes de mais nada, entenda o motivo: ouvir e conversar é o caminho para descobrir isso. Às vezes, ela chora por uma coisa momentânea, mas pode ser reflexo de outro medo, raiva ou acontecimento mais profundo.
  • Sempre explique e converse: a criança de 5 anos já entende com clareza o que a gente diz. Então, se ela chora por não querer ir para a escola, por querer um brinquedo novo, por não querer fazer algo, mostre por que tais coisas são necessárias ou por que são erradas.
  • Mostre alegria para fazer as coisas: se a criança chora, por exemplo, na hora de ficar na escola, uma boa dica é falar com alegria sobre isso: “que legal que você vai encontrar seus amigos”; “vai ser tão bom te ver de novo mais tarde”; “o que será que você vai aprender de legal hoje?”
  • Não repreenda o ato de chorar: meninos, meninas, crianças, adultos, todos nós choramos e esse é um ato normal. Na hora de educar, vale conversar sobre a causa do choro e não sobre o choro em si, para que a gente não ensine a criança a reprimir suas emoções.

Crianças de 5 anos: 5 dicas para educar nessa fase

Para finalizar, trouxemos 5 lembretes para você que educa uma criança de 5 anos e quer fazer isso da melhor forma possível. Vem com a gente:

1. Atenção à tecnologia

Atualmente, quanto mais a criança cresce, mais quer usar telas para jogos e vídeos. Tente combinar com ela o limite de tempo de celulares, tablets e jogos. Uma dica é deixar o computador na sala, em espaços onde você consegue ficar de olho, e usar programas que bloqueiam conteúdos impróprios.

2. Deixe a criança tomar algumas decisões

Crianças de 5 anos já sabem se vestir, comer e brincar de forma independente. Permita que ela tome algumas decisões, como escolher qual roupa vestir. Mesmo que você ache que “não vai combinar”, não tem problema. Estimular a autonomia é importante.

3. Incentive a ajudar em casa

Aprender a ter responsabilidade começa na infância. Aos 5 anos, o pequeno já pode ajudar com algumas tarefas, como arrumar o próprio quarto, regar plantas, guardar a parte da louça que não tenha risco de machucar e tirar a poeira dos móveis.

4. Use histórias fictícias para educar

Aproveite histórias na hora de dormir, para ensinar de forma mais sutil. Por exemplo: uma menininha que não gostava de dividir os brinquedos e descobriu como era legal compartilhar, porque a brincadeira ficava mais divertida. Para encontrar dicas de histórias muito legais, vale explorar o canal Fafá Conta Histórias, no YouTube.

5. Elogie

Se quando a criança faz algo errado você repreende, lembre-se de mostrar admiração quando o contrário acontece. Ela vai ficar feliz e querer repetir.


Em todo o processo de educação, a paciência e o amor são a parte mais importante. Não se pressione tanto para ser perfeito(a), apenas faça o seu melhor.

Estamos todos, adultos e crianças, em fase de crescimento. E vamos juntos.