Tamanho da fonte: a a a
Ir para o conteúdo
Para mães e pais 
em fase de crescimento.

Minha filha é vegetariana! Como apoiamos essa decisão em casa

Negra Li NL
qua, 13/10/2021 - 18:04
foto de um adulto e duas crianças manuseando vegetais: abobrinhas, cenouras e pimentões, aliemntos que são fundamentais para a alimentação de uma criança vegetariana.

Meu cuidado com a alimentação não é algo recente. Antes mesmo de ser mãe, eu já tinha uma alimentação saudável, mesmo com o dia a dia caótico por conta da agenda.

Comecei diminuindo açúcar e sal e evitando doces, frituras, refrigerantes etc. Comer bem sempre foi uma preocupação minha. Com meus filhos, não podia ser diferente. Aliás, com eles a preocupação é ainda maior.

Vegetarianismo na minha vida

Em 2004, quando gravei o filme Antônia, a diretora nos deu a liberdade de escolher o nome e algumas características dos nossos personagens. Decidi então que minha personagem era a Preta, mãe da menina Emília e que seria vegetariana. Aliás, em uma das cenas eu lembro que teria que pedir um cachorro-quente e pedi o meu sem salsicha. Acho que não pode ser chamado de cachorro-quente, né (rsrsrsrs)!

Meu ex-marido, que na época era meu namorado, não comia carne vermelha e frango. Isso me influenciou a iniciar o processo de não comer carne. Comecei evitando comer muita carne vermelha, mas nunca consegui parar totalmente, só diminuir o consumo.

A decisão da minha filha: “eu não vou mais comer carne”

Resolvi contratar um chef vegano. A princípio ele daria um curso pra minha funcionária, mas, por sugestão de uma amiga, resolvi oferecê-lo à minha filha. Durante as aulas, o chef falou sobre o veganismo, ensinando receitas.

A Sophia amou. Ao final do curso, ela me surpreendeu dizendo que não comeria mais carne. E nunca mais comeu.

Ela aprendeu a fazer a base, com molhos e temperos para cozinha vegana. Eles podem ser usados em sopas, risotos e até no missoshiro. Esses dias, ela fez um macarrão vegano, que, segundo ela, é o melhor que ela já comeu!

Esse processo já tem quatro meses. E está sendo levado com calma, de forma equilibrada e com acompanhamento de uma endocrinologista pediátrica. Em breve, a Sophia irá a uma consulta de retorno para avaliar os exames e ver se está tudo certinho em termos nutricionais e de desenvolvimento.

Hoje, podemos dizer que a Sophia é ovolactovegetariana, pois ainda consome leite e derivados. Eu tenho muito orgulho dela e fico feliz de tê-la incentivado, pois sempre expus minha vontade de deixar de comer carnes. Agora sinto que, por causa dela, estou cada vez mais perto de me tornar vegetariana também. Algumas mudanças já foram feitas aqui em casa.

Quer aprender mais sobre a importância dos nutrientes na alimentação? Confira o texto de Crianças Mais Saudáveis: Pra ficar fortinho! Os nutrientes na alimentação infantil

“Segunda Sem Carne” e a educação alimentar

Aderimos à “segunda sem carne” e eu evito comer carne no jantar. Estou acostumando o Noah também a comer carne vegetal e aumentar o consumo de legumes e vegetais. Nas segundas-feiras, ele normalmente come ovo.

Ainda compro carne, principalmente de frango sem antibióticos. Hambúrgueres vegetais também fazem sucesso por aqui: de shimeji, de lentilha, entre outros.

Tudo tem seu tempo, o importante mesmo é ter consciência de que diminuir o consumo de carne é importante para o meio ambiente, para nossa saúde e para o fim da exploração animal.

Vamos juntos nessa por um futuro melhor para nossos filhos.

E assim, com novos hábitos, também criamos novas tradições familiares. Aliás, falei sobre as tradições da minha família neste texto aqui. Confira! Infância feliz: qual é a importância das tradições familiares

Tags deste conteúdo
Mostre para mais alguém: