Tamanho da fonte: a a a
Ir para o conteúdo
Para mães e pais 
em fase de crescimento.

Irmãos brigando: como lidar com disputas entre os filhos?

Ninhos do Brasil NB
ter, 11/01/2022 - 10:30
Dois pequenos irmãos brigando no sofá de casa.

Irmãos brigando: quem tem mais de um filho já viu essa cena mais de uma vez! Um desentendimento na brincadeira, ciúmes, ou até o controle da TV.... Tudo pode virar um motivo! Ter mais de um filho é quase como fazer uma especialização em resolução de conflitos! 😂

E já vale lembrar: não existe nenhuma fórmula mágica sobre como instaurar a paz absoluta dentro de casa. Mas é possível aprender o que são esses desentendimentos, como e por que eles ocorrem.

Além disso, podemos desenvolver soluções saudáveis para que os momentos de atrito se transformem em uma convivência mais harmônica com o passar do tempo. Vamos conversar sobre isso?

É normal ter irmãos brigando?

Se tratando de seres humanos em formação, essas divergências são comuns. As crianças ainda estão aprendendo a se expressar e a conviver com outras pessoas, em diferentes ambientes.
Em casa, o contato com os irmãos é por muitas vezes a primeira oportunidade que eles têm de interagir com outras crianças, dividindo os bens, o espaço e a atenção dos pais.

Irmãos brigando são consequência da vida em família e desse processo de socialização e aperfeiçoamento de habilidades socioemocionais. 

Apesar de serem um problema na hora, esses conflitos são as formas como eles encontram para expressarem seus sentimentos, ainda que de maneira não totalmente desenvolvida. Faz parte do amadurecimento das crianças.

Só é preciso que os pais se atentem para que essas rivalidades não passem dos limites e prejudiquem a convivência como um todo. 

Irmãos brigando: por que isso acontece?

Os motivos que levam a uma briga entre irmãos variam: o filho mais velho pode ter ciúme do mais novo, um deles pode estar mais irritável naquele dia e reagir mal a algo feito pelo outro ou até um debate sobre quem vai sentar onde no banco do carro podem ser algumas das razões. 

Além disso, cada filho tem suas particularidades, temperamento e interesses próprios. Ao ver irmãos brigando, é preciso levar isso em conta antes de tentar intervir.

Os sentimentos por trás das brigas de irmãos

Mais que focar em entender quem e o motivo que acabou iniciando a intriga em questão, é importante focarmos nos significados dessa situação. Uma cena de irmãos brigando pode revelar questões mais profundas.

Às vezes, os irmãos se desentendem pois um acha que o outro é o queridinho dos pais, sentindo-se deixado de lado, ou há uma rivalidade nutrida nas comparações de comportamento ou habilidades feita entre eles, por exemplo. 

Saber quem empurrou quem é relevante, claro. Entender os motivos naquele determinado contexto é pertinente para evitar que as condições de convivência que deram início à briga gerem outro momento de inimizade no futuro. 

Mas interpretar a lógica infantil para essas atitudes é essencial, pois é assim que adquirimos a capacidade de enxergar nossos filhos como pessoas independentes, com razões e sentimentos únicos. 

Observar a relação familiar como um todo, olhando além da disputa momentânea, é uma forma positiva de começar a perceber quais são os verdadeiros pontos de conflito dentro de casa. 

Isso vai além de justificá-los simplesmente como um problema iniciado, porque as crianças não concordaram em quem vai jogar com qual personagem no jogo de videogame ou quem não quis dividir o brinquedo. 

O que fazer quando irmãos estão brigando?

Depois de refletir sobre as razões pelas quais as crianças estão agindo dessa forma, podemos incentivar o diálogo e o aprendizado. 
 
Avaliar a seriedade da briga é importante para decidir se é necessário ou não intervir. Observe como eles tentam resolver as questões sozinhos. 😉

É comum eles chegarem a um consenso seguindo suas próprias lógicas. A partir daí, aprendem a lidar com outras situações similares sem chamar por Manhêe!

Por outro lado, se a briga ameaçar ir para agressão física, é necessário impedir. Quando os dois se acalmarem, é hora de uma boa conversa sobre o que aconteceu.

Lembre-se de escutar todos os lados da história e evitar se posicionar a favor ou contra um dos filhos, deixando que eles entendam que seu papel ali é neutro e tem como único objetivo encerrar a confusão. 

Leia também:  

Como evitar brigas entre irmãos?

A principal ferramenta para o combate às desavenças entre irmãos é a conversa. Escute seus sentimentos, suas opiniões e, com calma, incentive a relação afetiva e o diálogo entre os envolvidos. 

É importante não focar nas falhas e erros das crianças, mas nas qualidades e nas possíveis resoluções: o que um irmão faz que deixa o outro feliz? Como deixar ambos satisfeitos? O que eles gostam na companhia um do outro? 

Com a prática, eles aprendem a verbalizar as opiniões de forma mais tranquila e a convivência se torna mais harmônica.

Contudo, isso não significa que as brigas nunca mais vão acontecer: elas vão, sim, ainda fazer parte da sua rotina; Afinal, é impossível manter a calma o tempo todo. E isso vale para adultos e crianças.

Aliás, vale a leitura: 

O lado bom é que o aprendizado das brigas e conciliações não fica só dentro de casa: resolver conflitos, defender interesses e saber a hora de ceder são habilidades sociais importantes que devem ser desenvolvidas pelas crianças.

Nem sempre essas habilidades vão ser colocadas em prática imediatamente, mas conforme a criança amadurece as ações começam a se basear no diálogo e no reforço afetivo, melhorando os relacionamentos dentro e fora de casa. 

Bullying entre irmãos: quando vai além da briga

Se as brigas estiverem mais frequentes do que o comum e os conflitos perdurarem por mais tempo do que deveriam, é preciso um olhar atento. 

Implicâncias constantes ou forte rivalidade podem ser sinal de bullying entre irmãos. Se há uma criança sendo intimidada por outra constantemente, isso vai além de briguinhas cotidianas. Uma orientação psicológica para as duas crianças envolvidas - e para os pais - pode ser uma boa medida para entender o que está acontecendo e resolver a situação.

Após a briga: o que fazer? Como unir a família?

Logo depois de uma briga, é natural que ainda exista uma tensão entre as crianças, assim como ficamos depois de discutir com alguém. 

Respeite o tempo de cada um para que se acalmem. Então, converse com eles individualmente sobre o que aconteceu, o que sentiram, por que falaram tal coisa, o que sentiu ao ouvir. 

Deixe que as crianças desenvolvam seus pensamentos, por mais ilógicos que possam parecer. Isso ajuda a fortalecer nossos laços familiares e a entender melhor cada criança individualmente. 

Depois vale chamar todo mundo para a conversa. Levar as crianças a um passeio que todas queiram fazer, propor alguma atividade em conjunto que não gere uma disputa entre os filhos ou uní-los com um objetivo em comum (ajudar nas tarefas domésticas, por exemplo) podem ser algumas estratégias para que os irmãos se vejam cada vez mais como amigos, e menos como rivais, enquanto crescem juntos.


Aproveite para conversar e conhecer os relatos de outras mães e pais sobre esse assunto na nossa Rede de Carinho:

Tags deste conteúdo
Mostre para mais alguém: