A+
A-
Para mães e pais 
em fase de crescimento.

Novidades:

Ninhos do Brasil + Carochinha Editora: Ninhos do Brasil se uniu à Carochinha Editora, selecionando histórias que auxiliam nas questões enfrentadas em diferentes fases. Confira!

Piaget: o que o pensador da educação tem a ensinar aos pais?

Ninhos do Brasil NB
sex, 17/06/2022 - 10:00
Em uma sala de aula, dez crianças estão sentadas, escrevendo sobre suas mesas de madeira. As duas meninas que estão na frente, em destaque, vestem camiseta amarela e cinza e escrevem em seus cadernos. A foto faz alusão ao tema sobre Piaget.

Mesmo que você não seja professor ou professora, é provável que já tenha ouvido falar em Piaget em alguma reunião de pais na escola. Afinal de contas, esse é um dos nomes mais importantes da pedagogia e que transformou a forma como entendemos o aprendizado e o desenvolvimento infantil.

E não precisa ser profissional da área para se interessar pelo tema, não é? Aliás, um segredinho: nem ele era! 

Quem foi Piaget?
O suíço Jean Piaget (1896-1980) não foi educador nem pedagogo, mas cientista, biólogo e pai de três filhos. Foi unindo rigor científico, conhecimentos sobre o corpo e cérebro e a observação dos filhos que ele se tornou uma das principais referências em pedagogia.

Além de guiar escolas, a teoria desenvolvida por Jean Piaget também ajuda mães e pais a entenderem melhor suas crianças. Assim, podemos alinhar expectativas sobre aprendizagem e, claro, entender melhor o projeto pedagógico das escolas e não “boiar” nas reuniões!

Qual é a influência de Piaget na educação infantil da atualidade?

Piaget não criou uma metodologia de ensino propriamente dita. Mas criou fundamentos para compreensão sobre a aprendizagem

Por exemplo, você já ouviu falar em construtivismo? Uma das bases do método é o pensamento de Piaget. 

Vem dele a noção de que o conhecimento não pode ser simplesmente transferido de uma pessoa para outra: precisa ser construído individualmente.

Dessa forma, a aprendizagem acontece a partir da assimilação de novos conceitos e da acomodação deles ao conhecimento já adquirido. 

Outros pensadores, como Vygotski, complementaram a teoria de Piaget demonstrando também o papel do contexto social na aprendizagem. Afinal de contas, o meio em que estamos inseridos afeta o tipo de informações que recebemos. Além disso, fatores como nutrição e condições básicas sociais e psicológicas fazem parte da nossa construção. 

Mas, considerando um cenário ideal de crianças vivendo em ambientes saudáveis, é interessante observar que a construção de conhecimento não acontece de uma hora para outra, mas gradualmente. 

Quais são os 4 estágios de Piaget?

A construção do conhecimento se dá aos poucos, e é por isso que conhecer os quatro estágios de desenvolvimento infantil segundo Piaget é tão importante! 

Estágio sensorial 

É quando a criança aprende por instintos e sentidos, começa a administrar seus reflexos e a desenvolver percepção de si e do mundo à sua volta. É uma fase que antecede a linguagem.

Estágio simbólico 

É quando ela começa a reproduzir alguns comportamentos e perceber padrões. Ainda há confusão entre realidade e fantasia e surge o pensamento intuitivo. Esse período vai até os 7 anos.

Estágio concreto 

Entre os 7 e 12 anos, a criança consegue ligar informações de forma lógica. Não é à toa que a alfabetização e a introdução de assuntos fora do seu mundinho começam aqui. A capacidade de empatia e julgamento moral também ficam mais evidentes.

Estágio formal 

A partir dos 12 anos de idade, o adolescente já consegue entender e elaborar conceitos mais abstratos. Formula hipóteses, faz deduções e compreende teorias. É a capacidade cognitiva que mais se aproxima dos adultos.

Aprender a aprender: estudo para além da decoreba

Seguindo o caminho construtivista, mais do que despejar conteúdos e fórmulas, a escola precisa estimular a construção do conhecimento, e dar ferramentas para que cada estudante possa aprender a aprender.

Exemplificando nas palavras do mestre: 

“Não é o conhecimento do teorema de Pitágoras que irá assegurar o exercício livre da inteligência pessoal; é o fato de haver redescoberto a sua existência e a sua demonstração” (Piaget, 1948/1974, p. 68-9).

Ou seja, não é uma questão de decorar a fórmula, mas de dar ferramentas para sua compreensão. Ao entender a lógica da construção do teorema, o aluno passa a entender a geometria e os espaços. A partir disso, pode-se pensar a estrutura de uma casa e até mesmo refutar ideias de que a Terra é plana. 

5 frases de Piaget que ajudam a entender as crianças

Como pensador, cientista e observador dos seus filhos, a obra de Piaget inspirou a forma de ver a educação. Reunimos algumas das frases que ajudam mães e pais e cuidadores a também entenderem um pouco mais sobre nossos filhos – e sobre nós mesmos!

  1. “O ser humano é ativo na construção de seu conhecimento e não uma massa 'disforme' a ser moldada pelo professor.”
     
    E aqui acrescentamos: nem pelo professor nem por ninguém. As crianças precisam de ferramentas para construírem seus próprios conhecimentos.
  2. “O ideal da educação não é aprender ao máximo, maximizar os resultados, mas é antes de tudo aprender a aprender, é aprender a se desenvolver e aprender a continuar a se desenvolver depois da escola” 
    Porque o aprendizado e o crescimento nunca terminam para quem se abre a novas descobertas. 
  3. “O principal objetivo da educação é criar pessoas capazes de fazer coisas novas e não simplesmente repetir o que outras gerações fizeram.” 
    A partir das ferramentas de pensar e associar ideias, as crianças podem explorar com mais liberdade e criatividade os conhecimentos construídos. Nossa evolução enquanto sociedade também depende disso!
  4. “Como podemos, com nossas mentes adultas, saber o que será interessante? Se você seguir a criança… pode descobrir algo novo.”
     E nós aprendemos com esse olhar deles. Que tal deixar a criança guiar uma experiência e anotar as suas percepções? É uma ótima forma de seguirmos aprendendo e crescendo juntos
  5. “Se você quer ser criativo, permaneça em parte como uma criança, com a criatividade e a inventividade que caracterizam as crianças antes de serem deformadas pela sociedade adulta.” 
    Observar as crianças é também uma oportunidade de resgatar a criança que habita em nós, com a curiosidade e criatividade para criar coisas novas. 

Quer saber mais sobre como estimular a criatividade de adultos e pequenos exploradores? 

Tags deste conteúdo