A+
A-
Para mães e pais 
em fase de crescimento.

Novidades:

Ninhos do Brasil + Carochinha Editora: Ninhos do Brasil se uniu à Carochinha Editora, selecionando histórias que auxiliam nas questões enfrentadas em diferentes fases. Confira!

Intoxicação alimentar infantil: como identificar e prevenir?

Ninhos do Brasil NB
ter, 15/02/2022 - 10:30
Menina com intoxicação alimentar, sentada à mesa de jantar, reagindo à dor, colocando as mãos na barriga.

Seu filho ficou com febre, intestino solto e náuseas depois de comer na rua? Pode ser uma intoxicação alimentar! Isso acontece quando ingerimos alimentos estragados, contaminados ou até mal lavados.

Antes de tudo, é importante lembrar que todos nós estamos suscetíveis a contrair uma intoxicação alimentar ao fazermos refeições ou lanches fora de casa. Isso porque não sabemos a procedência desses alimentos, tampouco se foram higienizados e armazenados da forma correta. Mas, ainda assim, podemos nos prevenir!

Se seu pequeno ou pequena passou mal depois de comer e você suspeita que seja uma intoxicação, continue lendo a matéria para saber o que fazer: estamos aqui para ajudar 😊 

O que é intoxicação alimentar?

Intoxicação alimentar é uma doença causada pelo consumo de alimentos contaminados por bactérias, fungos, vírus, parasitas ou toxinas
 
Muitas vezes o alimento não foi higienizado, conservado, armazenado ou preparado da forma correta. Isso abre espaço para as contaminações e, consequentemente, os sintomas chatos da intoxicação.

Quantos dias em média pode durar uma intoxicação alimentar?

Os sintomas, na maioria das vezes, estão relacionados ao trato digestivo, como náuseas, vômitos e diarreia. 

A intensidade deles, bem como a duração, varia conforme a virulência do próprio agente infeccioso, mas também de acordo com a resposta imunológica de cada pessoa.

Como a intoxicação é causada por um corpo estranho, esse tempo é proporcional ao tempo que o organismo da criança levará para mandar embora esses invasores. 

Assim como pode durar dois ou três dias, o quadro pode se estender por semanas – e precisar de acompanhamento médico.

Na prevenção de doenças, a imunidade é sua melhor amiga. Leia também: 

Quais são os alimentos que mais causam intoxicação alimentar?

De acordo com um estudo da Universidade Federal de Fluminense, os alimentos que causaram mais surtos de intoxicação alimentar pelo continente americano foram: 

Folhas verdes
Ovos
Atum
Ostras
Batatas
Queijos
Sorvete
Tomate
Couves
Frutas vermelhas

Quem diria que as folhas verdes estariam em primeiro lugar, não é? 

Mas isso não significa que a criança não pode mais comer essas coisas! Apenas devemos prestar bastante atenção ao higienizá-las em casa e escolher bem os restaurantes para comer. 

Quais são os principais sintomas de intoxicação alimentar?

Os sintomas da intoxicação alimentar em crianças podem aparecer em algumas horas ou até três dias depois de ingerir o alimento contaminado. Os sintomas mais comuns são:

  • Náuseas e vômitos 
  • Sensação de mal-estar 
  • Perda de apetite
  • Dor no estômago
  • Diarreia
  • Cólicas e inchaço abdominal
  • Gases
  • Desidratação
  • Fadiga
  • Febre baixa

Aqui, você pode perceber que a intoxicação alimentar tem sintomas muito parecidos com os de uma virose. Então, se estiver na dúvida do que seu filho ou filha tem, vale consultar um pediatra, para ter certeza de como tratar o incômodo, combinado? 

O que fazer em caso de intoxicação alimentar?

Se a criança estiver enjoada e vomitando, é importante consultar um médico para receitar os medicamentos adequados, para aliviar o incômodo. No entanto, a recomendação geral é a ingestão de líquidos e repouso. No caso dos sintomas evoluírem, é indicado ir ao pronto atendimento.

Afinal, o que é bom para curar intoxicação alimentar?

Uma forma de amenizar o desconforto das crianças é optar por ativos naturais, que, além de saborosos, funcionam como aliados do sistema imune e atuam contra os sintomas. 

Você pode oferecer: 

  • Água de coco gelada (bom para amenizar os sintomas de desidratação)
  • Chá de gengibre quentinho (ótimo para tratar azia)
  • Chá de hortelã-pimenta (contém analgésicos naturais que aliviam as cólicas e diarreias)

Durante uma intoxicação, perdemos muita água e nutrientes. A recomendação geral é repousar e beber bastante água. 

Em muitos casos, é recomendado o soro fisiológico na veia para tratar a desidratação, se os sintomas piorarem. Além disso, se a febre estiver alta, o médico pode prescrever um medicamento para equilibrar a temperatura do corpo.

Quando considerar uma intoxicação alimentar grave?

A intoxicação alimentar pode ser considerada grave se os sintomas forem acompanhados de desidratação, boca seca, sede excessiva, dor de cabeça, fraqueza e tonturas. Então fique de olho, pois essa doença pode afetar mais gravemente as crianças e os idosos. 

Nesse caso, é indicado recorrer ao pronto atendimento, pois os líquidos e nutrientes perdidos durante a desidratação precisam ser repostos. Algumas vezes, o tratamento também requer antibióticos. 

É importante ficar atento à evolução dos sintomas e sempre perguntar como a criança está se sentindo, ok? 

Quais são os tipos de intoxicação alimentar?

Como falamos, a presença de corpos estranhos no organismo da criança causam intoxicações alimentares. Os tipos mais comuns são: 

Infecção estafilocócica ou relacionada a estafilocócicos

Os sintomas variam, mas costumam se manifestar na forma de náusea, vômito e cólicas abdominais. Causada por alimentos que foram manipulados por pessoas com infecções, que podem ser virais.

Campilobacteriose ou infecção por Campylobacter

Seus principais sintomas são febre e diarreia. Geralmente acontece quando o alimento é cozido de forma inadequada. É muito comum em aves. 

Salmonella

Tem como sintomas mais frequentes a febre, o vômito e a diarreia. Presente em leites, aves e ovos mal cozidos (uma das causas mais comuns é pela ingestão de gema de ovo crua).

Botulismo

Visão embaçada, tontura e intestino preso são os sintomas mais comuns. Um dos principais causadores é a toxina botulínica presente no mel (motivo pelo qual ele não é indicado para menores de um ano). Mas o botulismo também pode ser causado por alimentos enlatados que liberam toxinas através do cozimento ou na presença de calor, como palmito, conservas vegetais e pescados defumados.

5 dicas para prevenir a intoxicação alimentar 

  1. No mercado, opte sempre por alimentos frescos e higienize tudo assim que chegar em casa
  2. Na hora de cozinhar e preparar a comida, lembre-se de higienizar as mãos e todos os utensílios e talheres
  3. Vai beber água fora de casa? Melhor que seja de garrafa lacrada! A água contaminada é uma das principais causas da intoxicação alimentar. Se tiver purificador em casa, lembre de higienizar o filtro
  4. Se possível, evite comer carnes malpassadas (principalmente fora de casa);
  5. A comida ficou fora da geladeira por muito tempo? Evite consumir! A bactéria do botulismo causa intoxicação e é liberada na presença de calor. 

Se os sintomas não melhorarem, não hesite em consultar um médico ou mesmo o pronto atendimento, tá bem?

E anote essas dicas de prevenção, elas ajudam bastante! Por mais que seja difícil nos atentarmos a todos esses detalhes, todo o cuidado que pudermos ter na hora de proteger nossas crianças é importante! 💛

Aproveite para ler também: 

Tags deste conteúdo