A+
A-
Para mães e pais 
em fase de crescimento.

Novidades:

Ninhos do Brasil + Carochinha Editora: Ninhos do Brasil se uniu à Carochinha Editora, selecionando histórias que auxiliam nas questões enfrentadas em diferentes fases. Confira!

Educação positiva: o que é e como colocar em prática

Ninhos do Brasil NB
seg, 30/05/2022 - 10:00
Um pai e seu filho estão em uma sala de estar, desenhando em um papel com lápis de cor.

A educação positiva não é um manual de como educar as crianças. Ela é um convite para refletirmos sobre o que queremos transmitir aos nossos filhos.

Às vezes chamada de educação não violenta, disciplina positiva ou educação para a paz, a educação positiva é uma visão de formação do ser humano que tem ganhado destaque entre famílias, educadores e na mídia. 

Nos tópicos a seguir, você aprende um pouco mais sobre o que é educação positiva e como colocá-la em prática na sua casa. 

O que é educação positiva?

Para falar sobre o que é educação positiva, vale primeiro a gente citar pontos que essa abordagem pretende contrapor. 

Quase todo mundo já vivenciou ou ouviu falar de situações em que as crianças eram criadas com palmadas, castigos e ameaças, certo? São métodos baseados na punição e na repressão.

A educação positiva, por outro lado, se apresenta como uma visão não punitivista de educação. Em vez de castigar, ela tenta fazer a criança pensar. Em vez de punir o mau comportamento, ela busca estimular as boas ações. Em vez de impor regras arbitrárias, ela procura construir acordos e fazer cumprir os combinados. 

Desse modo, a educação positiva tem foco na autonomia da criança, no afeto, na compreensão e no respeito. 

Qual é o objetivo da educação positiva?

Pode-se dizer que a educação positiva tem como objetivo respeitar a criança como um sujeito. 

Você, melhor do que ninguém, sabe o quanto seu filho é uma pessoa cheia de personalidade, ideias e opiniões. Então, não faz sentido negar essa individualidade e tratar a criança como se fosse um objeto, sem direito a voz e vez, certo?

Pela educação positiva, as regras do dia a dia são combinadas com o objetivo de fazer a criança entender o porquê delas. Assim, os filhos não são forçados a obedecer por obedecer, mas sim estimulados a entender o motivo das normas e as consequências dos seus atos. 

Portanto, o objetivo dessa abordagem é formar pessoas mais conscientes do seu papel, mais dispostas ao diálogo e cientes da importância dos acordos e da gentileza.

Quais são os pilares da educação positiva?

A educação positiva se fundamenta em princípios como:

  • Diálogo
  • Estabelecimento de regras claras
  • Entendimento sobre o motivo das regras
  • Solução pacífica de conflitos
  • Foco nos acertos e não nos erros 

 Educação positiva dos seus filhos: como aplicar?

Você talvez esteja pensando: “Falar é fácil, quero ver colocar em prática!” E, realmente, não é fácil colocar a educação positiva em prática. É um esforço diário, com um pequeno avanço por vez, mas vale a pena. 

Um dos primeiros passos para aplicar a educação positiva em casa é entender que as regras valem para todos. Assim, é fundamental que os pais deem o exemplo. 

Você combinou com seu filho que todos devem se tratar com respeito? Então, pode dar tudo errado se a criança ouvir você sendo grosseiro e desrespeitoso com alguém. Desse modo, é preciso que mães e pais estejam cientes de que, para que os filhos entendam as regras como importantes e necessárias, eles precisam ver nos pais o mesmo respeito às normas.

Além disso, faz parte da educação positiva a noção de que as crianças precisam saber o porquê das regras. Ou seja, em vez de dizer: “Você vai dormir agora porque eu estou mandando e, se desobedecer, vai ter castigo!!”, uma criação positiva implica dizer: “Você sabe que tem escola de manhã, certo? Se dormir tarde, vai prejudicar seu dia amanhã”. Percebeu a diferença? 

Outro ponto importante é fazer o chamado reforço positivo, elogiando as crianças pelos acertos em vez de apenas criticar e punir pelos erros. 

Também vale destacar que, quando seu filho quebrar as regras, o que deve ser atacado é o comportamento, não a criança. Por exemplo, se seu filho bateu no irmão menor, não diga algo como “Você é um mau irmão!” ou “Você não sabe se comportar!” É mais positivo dizer: “Bater nas pessoas não é legal. Isso machuca e as deixa tristes. Você gostaria que alguém fizesse isso com você?” Essa é uma forma de condenar apenas o comportamento, sem rotular e desmerecer a criança. 

Enfim, para aplicar a educação positiva em casa, é preciso diálogo, carinho e respeito. Os limites precisam ser definidos e explicados à criança, para que ela saiba por que fazer as coisas de um jeito e não de outro. 

O que fazer na hora da birra na educação positiva?

A famigerada “birra” da criança, temida por tantos pais e mães, é um desafio que requer muita calma e determinação para ser superada. E a educação positiva pode dar algumas ferramentas para isso. 

Antes de tudo, é preciso repensar o próprio conceito de birra. Chamar a resistência da criança de birra implica afirmar que ela está agindo daquele jeito porque quer, por pura teimosia. E não é isso. 

A criança que reage de forma violenta e resistente a algo está apenas demonstrando que ainda não tem maturidade para lidar com aquela situação. Ela não escolhe reagir daquele jeito. Por isso, quando a “birra” acontecer, você pode agir da seguinte maneira:

  • Primeiro, tire a criança do foco da confusão. Leve-a para um lugar mais calmo para conversar.
  • Acalme-a. Não adianta querer conversar durante uma crise de choro ou de raiva. Vale ensinar seu filho a respirar profunda e lentamente, pensando em coisas agradáveis, para voltar à calma.
  • Valide os sentimentos da criança. Diga a ela que você sabe como ela se sente e entende que ela se sinta assim.
  • Explique que sentir raiva é normal, mas isso não significa que ela pode bater em alguém, ou quebrar coisas, ou gritar com as pessoas. 

Além disso, vale pensar em formas de prevenir as reações extremadas da criança antes que aconteçam. Por exemplo, se vocês estão no parquinho e a hora de voltar para casa está chegando, avise seu filho um pouco antes: “Brinque mais um pouquinho e daqui a pouco vamos para casa, certo?”. 

Ou, se você vai ao shopping com a criança e não tem condições de comprar algo caro caso ela peça, explique isso antes de sair de casa. “A gente vai sair e não podemos comprar nada caro hoje. Então, se você quiser muito algum brinquedo, vamos colocar na sua lista de Natal?”. 
Essas são maneiras de preparar a criança para o momento, ajudando-a a lidar com a situação e reduzindo o risco de uma explosão de sentimentos. 

Educação positiva no Brasil: qual é o cenário?

Nos últimos anos, tem crescido no Brasil a procura por conteúdos sobre educação positiva. Como vimos, há cada vez mais autores falando sobre o tema. Ainda que com nomes ou nuances levemente diferentes, todos pregam o respeito à infância.

Também há escolas que incorporaram elementos da educação positiva à proposta pedagógica. Quando for escolher a escola do seu filho, converse a respeito disso com os responsáveis pela instituição.

Se você deseja se informar melhor sobre essa visão de educação, uma dica é seguir influenciadores que tratam do tema, como os perfis de Elisama Santos, Quartinho da Dany e Educação para a Paz no Instagram.

Por fim, quais são os benefícios da educação positiva?

Educar os filhos de forma positiva traz diversos benefícios para o desenvolvimento e ajuda a definir o tipo de pessoa que eles serão. 

A educação positiva faz com que as crianças cresçam com melhor autoestima e com noções mais claras de liberdade, responsabilidade e respeito, por exemplo. 

Além disso, valorizar mais os acertos do que os erros ajuda as crianças a desenvolverem uma visão de mundo mais otimista e uma postura afirmativa perante a vida.

Às vezes esse caminho pode ser difícil de seguir? Pode, mas com dedicação e amor, é possível que vocês cheguem lá – e juntos! Vale a pena!

Quer saber mais sobre disciplina positiva? Nossa embaixadora Flávia Valadares aborda uma questão importante: como agir no momento de dizer não à criança? Confira: Disciplina positiva: como dizer não?

Tags deste conteúdo