A+
A-
Para mães e pais 
em fase de crescimento.

Novidades:

Ninhos do Brasil + Carochinha Editora: Ninhos do Brasil se uniu à Carochinha Editora, selecionando histórias que auxiliam nas questões enfrentadas em diferentes fases. Confira!

19 brincadeiras para crianças de 8 anos para fazer em família

Ninhos do Brasil NB
ter, 17/01/2023 - 10:00
Crianças sorridentes num parque, brincando ao ar livre com bolhas de sabão

Você está procurando por brincadeiras para crianças de 8 anos? Então, venha com a gente, porque aqui não faltam ideias para você se divertir com elas!

Desde bebês, é brincando que as crianças aprendem sobre si e sobre o mundo ao seu redor.  A brincadeira ajuda no desenvolvimento físico, cognitivo e social – e esses benefícios continuam ao longo da vida. Mas aos 8 anos não são necessariamente as mesmas brincadeiras da primeira infância que farão sucesso. 

Com 8 anos, a maioria das crianças já está alfabetizada e mais independentes, tentando explorar as novas habilidades, entender quem são e seu papel na sociedade. Nessa fase, buscam referências em seus amigos e começam a compreender melhor o conceito de trabalho em equipe.

Jogos de tabuleiros e esportes com regras predeterminadas podem ser fonte de diversão e   auxiliar no desenvolvimento de crianças típicas e atípicas

Bora brincar então? Confira algumas opções de brincadeiras e atividades lúdicas para crianças de oito anos. 

19 brincadeiras para crianças de 8 anos

Na rua, em casa, na escola, brincar nunca é demais. Se você estava sem ideias, chegou no lugar certo – confira as dicas e boa diversão! 

Brincadeiras psicomotoras para crianças de 8 anos

Mexer o corpo é fundamental em qualquer idade. As brincadeiras ajudam no desenvolvimento psicomotor da criança. A interação social, a locomoção, a linguagem, a postura, o equilíbrio, a imagem corporal e o entendimento de espaço e tempo vêm de “brindes” nessas brincadeiras. Vamos começar com um clássico?

1. JOGO DA AMARELINHA

Uma brincadeira antiga, jogada em vários cantos do mundo, que trabalha o equilíbrio, o raciocínio lógico, a coordenação visual e motora, a noção de espaço, entre outras habilidades.

As crianças de 8 anos já podem ajudar desde o momento de montar esse cenário. Só vai precisar desenhar ou riscar com giz no chão os quadrados e numerá-los de 1 a 9 e, no topo, um quadrado com a palavra "céu".  

A brincadeira começa jogando uma pedrinha na casa 1. Depois a criança alterna pulos em dois pés e em um pé só - sem pisar na casa em que está a pedrinha – até o “céu”. Na volta, é preciso recolher a pedrinha no quadrado em que está.  

Ilustração da brincadeira infantil amarelinha

Completou o percurso? Atire a pedrinha no número seguinte. Se errar na pontaria ou no equilíbrio passa a vez para o outro jogador.

Entre as regras dessa brincadeira estão: 

  • não pode pisar no quadrado em que está a pedrinha ou nas linhas da amarelinha.
  • não pode esquecer de tirar a pedrinha da casa.
  • não pode desequilibrar e pisar com os 2 pés, quando tiver somente um quadrado para pisar.
  • quem conseguir fazer todo o circuito da casa 1 à casa 9 primeiro ganha a brincadeira.

2. PULAR CORDA

Aqui pode ser uma corda menor para a criança pular sozinha ou mesmo uma corda maior, em que uma dupla segura uma corda maior e outra criança pula no meio. Essa brincadeira estimula a coordenação motora grossa e exercita os músculos de braços e pernas. 

Também existem variantes quando na opção em dupla, em que as crianças cantam músicas e precisam pular, sair da corda e voltar a pular novamente, sem que a corda pare de rodar. 

Outras brincadeiras psicomotoras para crianças de 8 anos clássicas são: corrida do saco, andar sobre uma linha reta desenhada no chão e fazer movimentos com bambolês.

3. ESPORTES 

Mais que uma brincadeira, praticar esportes ajuda no desenvolvimento de muitas habilidades importantes para a vida das crianças. Inclusive, é um ótimo jeito de ensinar sobre respeito e empatia, além do benefício do convívio social. Vale escolher futebol, vôlei, basquete, handebol, a lista é enorme.  

Esportes e seus benefícios para as crianças 

Brincadeiras com bexigas para crianças de 8 anos

Brincadeira com bexigas e balões não têm idade! E quando as crianças já têm oito anos, os desafios podem ficar mais complexos e divertidos. Veja as dicas!

4. PINTURA COM BEXIGA E ALFINETE

Essa opção é para brincar ao ar livre, usando uma roupa que possa sujar. Também é recomendado usar tinta guache, que sai mais fácil na hora de lavar. 

Você vai precisar de bexigas (ou balões), tinta guache, água, alfinetes, placa de isopor de 1,5cm (ou um pedaço grande de cartolina ou papel cartão branco) e garfos (ou lápis apontados). Enchas a bexigas com água e tinta, cada bexiga de uma cor diferente. 

Prenda as pontas das bexigas com o alfinete na placa de isopor. Depois, é só estourar cada uma e o resultado vai ser uma obra de arte que é uma explosão de cores.

5. VÔLEI COM BEXIGAS 

Monte uma rede vôlei e forme duas duplas, em que cada criança segura a ponta de um pano. Coloque uma bexiga (ou um balão) cheia de água no meio do pano. 

O objetivo aqui é que, juntas, as crianças arremessem a bexiga para o outro lado da rede e a dupla do outro lado deve tentar receber a bexiga dentro do pano que estão segurando. Vai perder a dupla que deixar a bexiga estourar primeiro.

6. BEXIGAS D'ÁGUA

Essa é aquela brincadeira clássica para os dias de verão. Encha bexigas com água e deixe as crianças estourarem umas nas outras. Lembre-se de pedir para que atirem com calma, para não machucar os amigos. 

Brincadeiras educativas para crianças de 8 anos

Turminha concentrada em volta da mesa, que se lancem os dados e comece a jogatina infantil- apostamos nossas fichas que essas opções trarão diversão e aprendizado na mesma medida!

Com 8 anos, as crianças já conseguem se aventurar pelos jogos de tabuleiro com mais autonomia. Além de ler as orientações dos tabuleiros, elas já conseguem entender melhor as regras.

7. JOGOS DE TABULEIRO E DE CARTAS

Existem jogos de tabuleiro e de cartas para alfabetização, para estimular a criatividade, para ajudar a entender conceitos de matemática, entre tantos outros.

Uma boa dica para saber como escolher um jogo para crianças de 8 anos, é conferir a idade recomendada que está impressa na caixa do jogo.

  • Jogos de tabuleiro para alfabetização: aos 8 anos, a criança já está alfabetizada, sendo assim, é importante que o jogo seja dinâmico e um tanto desafiador. Há vários jogos de formação de sílabas, caça-palavras, formar palavras etc.
  • Jogos de carta e adivinhação: jogos para formular estratégias, que incentivam o raciocínio lógico e a memória geralmente atraem as crianças de 8 anos. Assim como os jogos de adivinhação, que ajudam a desenvolver foco e atenção. 
  • Jogos de criatividade: estimulam a imaginação e a linguagem. Um bom exemplo são os que as crianças precisam inventar e contar histórias.

Brincadeiras em casa para crianças de 8 anos

Para os dias em que não é possível brincar na rua, ficar dentro de casa também pode ser divertido se a criança for estimulada a brincar. Pode ser sozinha ou com outras pessoas, o importante é manter a mente ativa.  

1. JOGOS DE TABULEIRO OU DE CARTAS

Além dos jogos citados com foco em aprendizado, também existem os clássicos jogos que encantam pessoas de todas as idades! Xadrez, damas, ludo, uno, mau mau são algumas das opções que, além de divertir, estimulam o raciocínio lógico e estratégico. 

2. BRINCAR DE COLORIR

Não são só as criancinhas pequenas que brincam de colorir. As crianças de oito anos também podem se entreter, treinar a concentração, a coordenação motora fina e a percepção de espaço através da pintura. Existem livros com desenhos prontos para a criança preencher com cores – com diferentes níveis de detalhamento – mas você também pode desenhar ou imprimir desenhos que ela gosta para se divertir.

3. DANÇA DAS CADEIRAS

Nem só de brincadeiras calmas se faz uma tarde dentro de casa. Ainda mais se a turminha for grande! Quem não se lembra da dança das cadeiras?

A atividade só precisa de música e cadeiras para trabalhar habilidades como agilidade e coordenação – e divertir.

A quantidade de cadeiras é o número de participantes, menos uma. Aqui, a ideia é eliminar um jogador a cada rodada, o que não conseguir sentar sozinho em uma das cadeiras. 

Você vai tocar uma música enquanto as crianças rodam em volta das cadeiras. Ao parar a música, cada uma deve sentar em uma cadeira e a que ficar em pé sem cadeira é a eliminada. A cada rodada, retire uma das cadeiras. Vai ser o vencedor quem sentar na última cadeira restante.

4. STOP OU ADEDONHA

Seja online ou com folhas de papel e caneta, é um jogo perfeito para incentivar o raciocínio e aumentar o conhecimento de mundo da criança.

Comecem escolhendo as categorias de palavras que serão preenchidas, como nome, país, cor, fruta, animal, refeição, filme. Após fazer as tabelas de cada jogador, é preciso pensar em um jeito de sortear uma letra do alfabeto para cada rodada.

Você pode usar um cronômetro ou mesmo marcar o tempo em um relógio para o desafio. Após a letra ser escolhida, vocês terão um tempo determinado para preencher cada categoria de palavra com uma palavra iniciando por ela.

Cada jogador deve dizer ‘stop’ ou ‘adedonha’ assim que terminar de preencher todas as categorias. Compare as respostas entre os jogadores e vocês podem marcar os pontos de quem preencheu mais categorias e pontos extras de palavras que não estão repetidas entre os participantes. Vai ganhar quem tiver mais pontos.

5. ADIVINHANDO O DESENHO

Divida a turminha e dois times. Vocês vão precisar de cartões com nome de figuras, animais, ações, alimentos, peças de roupas ou outras coisas que possam ser desenhadas para adivinhar o que é.

A cada rodada, é sorteado um cartão e o jogador da vez precisa desenhar em uma folha enquanto os outros participantes do seu time tentam adivinhar o que é que está sendo desenhando. Ganha o time que acertar em menos tempo.

6. CAÇA AO TESOURO

Brincadeira que pode ser feita dentro ou fora de casa. A ideia é esconder o tesouro - uma caixa ou objeto - em algum lugar e os participantes procurarem por ele.

Pense em pistas para ajudar os participantes a encontrarem o tesouro. Quanto mais elaboradas forem as pistas, mais divertido fica, além de que os enigmas são ótimos para prender a atenção das crianças. 

7. VIDEOGAMES 

Muitos pais e mães acreditam que jogar videogame faz mal. Mas isso só é verdade se a criança não for orientada e não tiver limite de tempo de jogo. 

Os videogames ajudam as crianças a desenvolver habilidades de resolução de problemas e lógica. Também fortalecem as habilidades cognitivas e podem melhorar a capacidade do seu filho de pensar de maneira tridimensional.

Jogos simples podem melhorar o humor do seu filho, promover relaxamento e reduzir a ansiedade. As crianças também aprendem sobre resiliência emocional aprendendo a lidar com a perda nos videogames. 

A socialização é outro benefício dos videogames. Em um mundo digital, é assim que as crianças podem se conectar com seus amigos. Além de que jogar online pode conectar seu filho com crianças da mesma idade que têm os mesmos interesses.

E como escolher os jogos?

Embora os videogames violentos não contribuam necessariamente para a violência real, eles não são produtivos. Invista em jogos de RPG e jogos estratégicos que desenvolvam o raciocínio lógico.

Dicas que ajudarão você a monitorar e a estabelecer limites:

  • Limite o tempo de tela. Defina um tempo máximo por dia de 2 horas. E tente manter o console fora do quarto da criança, para facilitar esse monitoramento.
  • Saiba o que a criança está jogando e pesquise sobre o jogo. Confira se é próprio para a idade dele e se não é violento.
  • Se você perceber que seu filho está sempre cansado, irritado ou não está indo bem na escola, converse com ele sobre o que está acontecendo. Talvez seja o caso de diminuir o tempo de tela. 
  • Jogue junto. Sentar e brincar com seus filhos é uma ótima maneira de se relacionar. Os jogos são ótimos para socializar e se conectar com outras pessoas. Faça questão de entender o jogo deles e do que eles gostam. Então eles estarão mais abertos para falar sobre os problemas que eles têm.

Brincadeiras para crianças de 8 anos ao ar livre

Bora pra rua, correr e gastar energia? Siiimm!! Afinal de contas, crianças de 8 anos têm muita energia para gastar mesmo!

8. PEGA-PEGA

A clássica brincadeira de pegar, tem número livre de participantes. Aqui, basta escolher o “pegador” da primeira rodada. Ele vai correr em direção aos outros jogadores, enquanto eles tentam fugir. A criança que for tocada pelo pegador se torna o pegador da próxima rodada.

9. JARDINAGEM AO AR LIVRE

Além de divertido, é uma ótima oportunidade para as crianças aprenderem sobre os cuidados com a natureza. Plantar, regar, usar ferramentas, aprender sobre o solo, sobre o crescimento de uma planta, tudo isso também pode ser uma aula espontânea de ciências.

Extra: Brincadeiras para crianças de 8 anos com deficiência 

Todas as brincadeiras que vimos até aqui podem ser adaptadas para incluir crianças com diferentes tipos de deficiência. Afinal de contas, as brincadeiras – e a inclusão – ajudam no desenvolvimento de todas as crianças! Habilidades motoras, emocionais, cognitivas e sociais vêm de brinde com a diversão.

Confira brincadeiras inclusivas para crianças de 8 anos:

10. SOLETRAR EM LIBRAS 

A brincadeira de soletrar em Libras, a Língua Brasileira de Sinais, incentiva a inclusão e o aprendizado do alfabeto usado por deficientes auditivos.

A ideia aqui é interagir e adivinhar, sem usar a fala. Você pode deixar disponível, a quem não sabe esse alfabeto, a tabela com a ilustração de cada letra.

Uma criança escolhe um objeto do ambiente em que está e não conta para ninguém. Em seguida ela deve soletrar, em Libras, o nome desse objeto. O participante que adivinhar, se levanta e aponta esse objeto e ganha 1 ponto. Quem conseguir 3 pontos primeiro, ganha o jogo.

11. VÔLEI SENTADO

Praticado em paraolimpíadas, esse jogo precisa de uma quadra com uma rede de vôlei mais baixa. Todos os jogadores ficam sentados durante todo o jogo, não pode ficar de pé. Na brincadeira, não há número mínimo, nem máximo de pessoas em cada time. Basta dividir as equipes, decidir o número de pontos da partida e jogar.

12. CAIXA DOS SENTIDOS

Em uma caixa de papelão, faça dois buracos na lateral para que as mãos acessem seu interior. Coloque um objeto e tampe a caixa. O jogador vai tatear, ouvir e até cheirar para adivinhar o que tem dentro da caixa. Vai ganhar quem descobrir mais objetos. Para crianças que não falam, use comunicação alternativa, como placas ou letras móveis.

Benefícios das brincadeiras para crianças de 8 anos

Brincar é bom para todas as crianças, você sabe. Reunimos aqui três benefícios que as brincadeiras trazem para as crianças de 8 anos – com ou sem deficiências.

- Habilidades socioemocionais

Brincadeiras e amizades ajudam seu filho a aprender a compartilhar, cooperar, descobrir o que outras pessoas estão sentindo e fazer amizade com outras crianças. A criança saberá que pode contar com o apoio de outras crianças e isso é ótimo para a autoestima.

- Habilidades de comunicação

Cada um do seu jeito, com suas palavras, sinais e gestos, as crianças descobrem formas de se comunicarem umas com as outras - e aprendem umas com as outras. Empatia é uma linguagem universal!

- Habilidades físicas

As amizades podem incentivar seu filho a participar de atividades físicas sociais divertidas. Envolver-se em brincadeiras físicas pode melhorar o tônus ​​muscular e as habilidades motoras grossas do seu filho, bem como a confiança.

Brincadeira é boa quando é democrática e inclusiva! Além do desenvolvimento de habilidades individuais e de promover a diversão, a brincadeira é o primeiro exercício de convivência e respeito com a turma. Aliás, vale ler o artigo da psicopedagoga Monique Gonçalves sobre o assunto: Como educar crianças para incluir colegas com deficiência.